ABI BAHIANA

ABI lança Revista Memória da Imprensa nesta terça (21)

Em evento online, entidade vai celebrar a publicação que registra preciosos depoimentos de profissionais do jornalismo baiano

Com o depoimento de grandes nomes da imprensa baiana, o projeto “Memória da Imprensa – A História do Jornalismo Contada Por Quem Viveu” está pronto para ser lido pelo público. A série idealizada pela Associação Bahiana de Imprensa (ABI) está em sua 4ª edição e, pela primeira vez, será apresentada em formato impresso. A versão digital da Revista Memória da Imprensa será lançada nesta terça-feira (21), às 18h30, com live transmitida pelo Youtube. Participam do evento os jornalistas Kau Rocha, Valber Carvalho, Biaggio Talento, que também é o editor da revista, e Ernesto Marques, presidente da ABI. 

Entre fotógrafos, radialistas e empresários, foram trazidas as histórias de profissionais de grande renome: Anízio de Carvalho, Antonio Matos, Emiliano José, Joaci Góes, Jorge Sanmartin, José Athayde, Levi Vasconcelos, Paolo Marconi, Sérgio Mattos e Valter Lessa. Além de terem presenciado um período de grande destaque do jornalismo baiano – da década de 60 até 90 – esses profissionais também foram testemunhas e narradores de eventos marcantes para a história nacional. 

Para o jornalista e radialista Ernesto Marques, presidente da ABI, a revista é um “documento histórico de grande relevância”. Ele conta que esse primeiro volume é uma parte do acervo do projeto, composto pelo material bruto das entrevistas feitas com 30 grandes profissionais da imprensa baiana. “A revista é, portanto, uma degustação para provocar os instintos de editores e repórteres atrás de boas pautas, roteiristas em busca de bons argumentos, historiadores”, declara o dirigente. 

O primeiro formato do projeto consistia em documentários com entrevistas gravadas. A primeira edição, lançada em 2005, trouxe o depoimento do jornalista Jorge Calmon, dirigido pelo documentarista Roberto Gaguinho. Em 2018, Gaguinho registrou o escritor e jornalista João Carlos Teixeira Gomes, o Joca. Em 2020, foi a vez de Florisvaldo Mattos narrar suas memórias, dirigido pelo jornalista, escritor e documentarista Valber Carvalho, diretor da ABI.

Coube a Biaggio Talento o desafio de editar e levar ao formato de texto os dez relatos que recheiam a publicação. Para ele, a preciosidade desse projeto está nos testemunhos que dão conta de uma outra época da imprensa, dando a oportunidade de perceber a evolução que houve desde então. “Essa geração viveu as agruras do regime militar de 64 e as dificuldades da redemocratização. Seus integrantes conviveram com a censura, ajudaram na criação de um jornal que inovou o impresso, lançaram projetos marcantes que renovaram antigos diários e emissoras de rádios. E a importância dos seus testemunhos para a história, está na variedade de visões sobre o que ocorria na Bahia e no Brasil”, afirma.

O projeto gráfico conta com a assinatura do cartunista e designer Gentil. Sem saudosismo, mas com respeito pela história do jornalismo baiano, o visual da revista segue certos parâmetros dos antigos impressos, como a opção pelo preto e branco.

A versão digital da primeira edição estará disponível logo após o lançamento. Ainda nesta semana a ABI começará a distribuição da versão impressa, enviando um exemplar para cada associado recadastrado e também para as redações, agências de propaganda e assessorias.

Serviço

Lançamento online da Revista Memória da Imprensa
Quando: 21 de junho de 2022, às 18h30
Onde: Canal da ABI no Youtube