Artigos Blog das vidas

Jornalista baiano Renato Pinheiro morre aos 68 anos

Jorge Ramos *

O jornalista baiano Renato Pinheiro morreu nesta segunda-feira (12), aos 68 anos, vítima de um tumor cerebral. O humor refinado e permanente e um estilo afável de fazer e conservar amizades eram características da sua personalidade. Um dos jornalistas mais marcantes de sua geração, possuía uma memória privilegiada e era também um excelente “causeur”, sempre com uma história oportuna e engraçada, a que sua verve narrativa dava tons coloridos para encantamento de todos que o ouviam. Renato Pinheiro era um apaixonado torcedor do Esporte Clube Bahia e conhecia profundamente a história e a trajetória do “Tricolor de Aço”. Em 1988 foi de carro de Salvador a Porto Alegre assistir à final do Campeonato Brasileiro, contra o Internacional, quando o seu time do coração sagrou-se Campeão Brasileiro.

Profissionalmente Renato Pinheiro se destacou pela excelente qualidade do texto, pelo rigor e precisão das informações e também pelo tratamento respeitoso com suas fontes profissionais, que sabia cultivar de maneira responsável e mutuamente confiável.

Começou a vida profissional como repórter do jornal “Tribuna da Bahia”, ainda estudante de Jornalismo, na primeira metade da década de 70. Logo especializou-se na cobertura da área política, sendo por vários anos responsável pela cobertura das atividades da Assembleia Legislativa. Ganhou diversas vezes o prêmio “Destaque do Ano”, conferido aos repórteres que cobriam as atividades legislativas. Após um período no jornal “A Tarde” retornou à “Tribuna da Bahia” e ficou lotado na Editoria de Política onde foi um dos principais redatores da coluna “Raio Laser”, uma das mais prestigiadas do jornalismo baiano. Depois trabalhou por vários anos como repórter da sucursal baiana do jornal “O Globo”.

Trabalhou também como autônomo fazendo jornalismo empresarial. Nessa fase produzia e editorava “house organs” para muitas empresas, notadamente indústrias do Polo Petroquímico de Camaçari. Teve também uma vasta experiência em marketing político, tendo feito diversas campanhas eleitorais, na Bahia e em outros estados. Era casado com a também jornalista Luci Bruni e deixa três filhos, de dois casamentos anteriores.

*Jorge Ramos é jornalista e pesquisador. Atualmente integra a Diretoria da Associação Bahiana de Imprensa, ocupando o cargo de Diretor do Museu Casa de Ruy Barbosa.