ABI BAHIANA

Novo Estatuto fortalece a ABI para defesa do jornalismo e promoção da cultura

Documento também cria a Diretoria de Defesa da Liberdade de Informação e Direitos Humanos

Um importante passo foi dado pela Associação Bahiana de Imprensa. A instituição acaba de registrar em cartório o seu novo Estatuto, que prevê o fortalecimento das ações voltadas para a área cultural. Reconhecida por sua atuação em prol da liberdade de expressão, a ABI concretizou também um antigo desejo: a criação da Diretoria de Defesa da Liberdade de Informação e Direitos Humanos. Entre as principais inovações trazidas pelo regramento da Associação estão a linguagem neutra de gênero, a definição de estrutura para a Diretoria de Cultura e a busca por uma representação cada vez mais forte no interior do estado. Outra mudança importante é a duração do mandato, que passa de dois para três anos.

A reforma do Estatuto da Associação Bahiana de Imprensa foi finalizada em fevereiro passado, após um longo período de discussões. Depois do processo de revisão, o documento passou por ajustes de redação com o auxílio de uma assessoria jurídica e, então, foi registrado em cartório.

O Estatuto em vigor até então havia sido aprovado em 1986, período em que o país não tinha concluído a transição democrática, que baliza a Constituição de 1988, e teve que se ajustar ao Código Civil. Mas, mais do que adequação ao Código, o novo estatuto marca o redesenho da ABI e abertura da instituição para o novo cenário desenhado pela interface entre comunicação e sociedade civil.

“Toda entidade é um corpo vivo e dinâmico e precisa ter respostas institucionais para as demandas de cada tempo”, destaca o jornalista Ernesto Marques, presidente da ABI. Segundo o dirigente, as adequações do novo Estatuto da ABI representam avanços para o conjunto de profissionais, dirigentes e empresários que dão vida à ABI.

O objetivo da entidade é atingir uma representação cada vez mais forte e ativa, através da conexão com as transformações sociais e as mudanças no mercado da comunicação. Outro ponto importante é que o Estatuto modifica a relação com as seccionais existentes do interior do estado. Junto com os dirigentes dessas antigas estruturas, a Diretoria da ABI vai implementar um novo modelo de representação regional.

Confira aqui o texto na íntegra.