ABI BAHIANA

Promovido pela ABI/OAB, último debate do pleito reúne prefeituráveis em Salvador

Candidatos destacam compromisso das entidades com a democracia

A menos de duas semanas das eleições municipais, a Associação Bahiana de Imprensa (ABI) realiza, nesta quarta-feira (04/11), às 20h, o último debate entre os candidatos à prefeitura de Salvador. O evento, em parceria com a OAB-BA (Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Bahia), acontece no auditório Samuel Celestino, edifício-sede da ABI, e reunirá os nove postulantes ao cargo.

Será a primeira vez que a ABI promove um evento como este, o que ganhou ainda mais relevância diante do cancelamento de debates televisivos por conta da pandemia de Covid-19. A mediação será da jornalista Suely Temporal, membra do Conselho Consultivo da ABI e sócio-diretora da ATCom.

O evento homenageará o jornalista Samuel Celestino, ex-presidente da Diretoria Executiva e da Assembleia-geral da instituição, e maior nome do jornalismo político da Bahia. O debate terá duas rodadas de perguntas feitas por jornalistas. A primeira, como mais uma reverência a Samuel, pioneiro do jornalismo online, será feita por Fernando Duarte, editor do Bahia Notícias, fundado por Samuel e Ricardo Luzbel.

A iniciativa de promover o debate foi recebida pelos postulantes ao Palácio Tomé de Souza e suas equipes com entusiasmo. Os candidatos ouvidos pela ABI ressaltam a importância do evento em propor uma discussão democrática e a preocupação da produção em garantir a todas pessoas presentes a segurança necessária diante de um contexto de pandemia.

De acordo com Cezar Leite, candidato do PRTB, esse é um evento de interesse do eleitor da cidade. “A iniciativa da ABI de convocar todos os candidatos a prefeito de Salvador, independente do partido ou corrente ideológica, atesta o compromisso da entidade com a democracia”.

Já para Olívia Santana, candidata pelo PCdoB, o debate é uma oportunidade de apresentação das ideias que seu partido tem para Salvador. “É o momento de evidenciar os planos que estão verdadeiramente alinhados com a construção de uma cidade mais igualitária”, defende a pedagoga. “Quero agradecer a ABI e as instituições que se juntaram para promover este evento, tomando para si também a responsabilidade, e a TVE, que fez o debate e vai transmitir este também. Considero fundamental que a população tenha o direito de assistir aos debates na tevê aberta para que, de fato, possam conhecer nossas propostas”, completa Olívia.

“Fico muito satisfeito com a atitude da ABI, em parceria com a OAB-BA, entidades essas que sempre lutaram pela liberdade de imprensa e, consequentemente, pela democracia. Não se deve esperar do debate um ringue para ataques e defesas, tal como numa guerra. Críticas construtivas são até bem vindas, mas, o povo espera mesmo é ouvir soluções”, acredita Celsinho Cotrim, do PRTB. “Diante do cancelamento de três debates, o surgimento desse da ABI, sinceramente, acaba sendo o ponto alto de toda a eleição. Primeiro, que já começa não excluindo candidatos, convidando, portanto, todos os nove; e, segundo, que seu formato é mais aberto e menos comercial”, compara Cotrim.

Parte dos candidatos se enfrentou, na TV, nos debates promovido pela Band Bahia, no início de outubro, e pela TVE Bahia, no último dia 24. O Hilton Coelho (PSOL) lamentou o cancelamento dos debates que ocorreriam na da rede aberta. “A iniciativa da ABI e OAB é uma demonstração de resistência contra o autoritarismo e compromisso com o papel democrático do jornalismo. Parabéns à entidade e também para a TVE, que se comprometeu a transmitir esse evento tão temido por certos setores conservadores”.

Para Bacelar, do Podemos, o encontro entre candidatos a prefeitura de Salvador organizado pela ABI e OAB é um ato de colaboração para população decidir o voto. “O tempo de televisão é pequeno e não conseguimos expor todas as propostas no programa eleitoral. Para completar, os debates foram cancelados. A exposição de ideias, apresentação de propostas, plano de governo é essencial para construção da democracia”, declara o político.

“Quando olhamos esse processo de cancelamento de debates promovido pelas emissoras, fica claro que as eleições são antidemocráticas. Todas alegaram a pandemia como motivação para cancelamento dos debates, o que é uma mentira. Também temos que denunciar o fato da TVE, a TV pública da Bahia, em não ter nos chamado para o debate”, crítica Rodrigo Ferreira, candidato do PCO.

Major Denice, candidata pelo PT, conta que será uma honra participar do evento. “Será uma oportunidade única de apresentar minhas propostas para Salvador, num formato completamente livre para que o público possa, de fato, comparar quem é melhor para a cidade. Estou numa expectativa grande, para olhar no olho de cada soteropolitano e soteropolitana e falar que quero cuidar deles”, afirma a petista.

Candidato pelo Avante, o Pastor Sargento Isidório elogiou a ABI e a OAB pelo evento. “Quero parabenizá-las por estarem assumindo o papel que seria da grande imprensa, de grandes redes de televisão que têm concessão pública e, portanto, teriam obrigação de se esforçarem para serem vetores da democracia”.

O evento será transmitido ao vivo pelas redes sociais da ABI e OAB e será retransmitido pela emissora pública TVE Bahia (canal 10) e pela rádio Excelsior (106,1 FM). Além dos veículos locais acionados para compor o pool de retransmissão, os portais Bahia Notícias e Bocão News confirmaram participação para cobertura.

Até o fechamento desta matéria, o candidato do DEM, Bruno Reis, não respondeu a nossa tentativa de colher um depoimento sobre a sua participação no debate, já confirmada pela assessoria.

*Graduanda de Jornalismo, estagiária da ABI.

Revisão: Alexandro Mota