ABI BAHIANA

Assembleia Geral aprova mudanças no Estatuto da ABI

A Assembleia Geral Extraordinária da ABI, realizada na manhã desta segunda-feira (19), imediatamente após a reunião mensal da Diretoria Executiva, deu um passo importante para consolidar a entidade enquanto espaço que promove cultura. A sessão semipresencial aprovou alterações no Artigo 4° do Estatuto em vigor, que dispõe sobre as finalidades da ABI, e o Título IV – Das Disposições Transitórias, para tratar da representação dos profissionais do interior do estado, além de prorrogar do mandato atual até 30 de novembro, prazo necessário para a organização do processo eleitoral da entidade. As três emendas foram aprovadas por unanimidade. A ABI divulgará o calendário das eleições internas deste ano.

Foto: Joseanne Guedes

De acordo com o presidente da Assembleia Geral da ABI, Walter Pinheiro, há uma preocupação da entidade em relação a intensificar a participação dos colegas do interior do estado, antes representados pelas seccionais. Com a reforma do Estatuto, havia sido estabelecido um prazo de 120 dias para o definir o novo formato de representação.

“Houve a necessidade de fazer uma prorrogação para 30 de junho. Assim, poderemos discutir com calma e aprovar um formato que possibilite à Associação Bahiana de Imprensa ser efetivamente uma associação do estado, não apenas com foco na Região Metropolitana de Salvador. Acho muito importante avançar nisso, em atenção aos caros companheiros jornalistas de outras regiões baianas”, explicou Walter Pinheiro.

Uma entidade cultural

Alterações foram introduzidas nos objetivos da ABI, para prever no Estatuto atividades que já são praticadas pela instituição, como edição de revistas, produção de filmes e eventos, e outras iniciativas que fomentam a cultura no estado. “Nosso Estatuto não previa essas ações no seu capítulo inicial. Ele previa basicamente a congregação dos profissionais, a defesa da liberdade de imprensa, da cidadania, ou seja, aqueles objetivos que vieram desde a fundação e agora já temos 92 anos em atividade”, lembrou.

Foto: Joseanne Guedes

Ele observou que, com as mudanças feitas pelas instâncias governamentais, a atuação da entidade precisa ficar clara no documento que rege o seu funcionamento. “Isso tudo é importante para efeito de emissão de nota fiscal e outros documentos, para que a ABI não esbarre em entraves com a Receita Federal, por exemplo, e possa participar legalmente de editais de cultura. Agora, nosso objetivos estão ajustados para atender a essa demanda, conforme manda a lei. Estamos todos de parabéns por vencer mais essa etapa.”

Textos relacionados: