ABI BAHIANA

Homenagem ao jornalista Walter Pinheiro marca reunião da ABI

Solenidade que inaugurou retrato do ex-presidente antecedeu confraternização da entidade e ação solidária

Joseanne Guedes e Larissa Costa

O clima era de alegria e descontração na sede da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), na manhã desta sexta-feira (17). A última reunião da Diretoria Executiva em 2021 foi marcada por uma homenagem ao jornalista Walter Pinheiro, que esteve à frente da instituição por nove anos. Seguindo a tradição de eternizar os ex-presidentes na galeria da sala de reuniões, hoje foi a vez de Walter Pinheiro ver seu retrato ao lado de figuras como Altamirando Requião, Ranulpho Oliveira, Jorge Calmon, Afonso Maciel Neto e Samuel Celestino. Após a solenidade, houve uma confraternização entre diretores e funcionários da ABI, e uma ação solidária ao Grupo de Apoio da Criança com Câncer – Bahia (GACC-BA).

O jornalista Ernesto Marques, presidente da ABI, falou da importância de Walter para a sua formação e estilo de liderança. Sucessor de Pinheiro na presidência, ele disse desejar que o atual presidente da Assembleia Geral da ABI possa continuar por muito mais tempo em atividade. “No futuro, quando for a minha vez de ser um retrato ali na galeria, eu vou estar ao lado dele. Isso fará com que eu guarde sempre boas recordações e sobretudo muitas lições desse período que a gente convive aqui na diretoria”, pontua Marques, para quem Walter Pinheiro é uma “unanimidade” por sua inteligência e caráter. 

Natural de Salvador, Walter Pinheiro diplomou-se em Ciências Contábeis e  Economia pela UCSal, em 1968, dedicando-se à carreira bancária de 1961 até 1974. Presidiu o Sindicato das Indústrias de Bebidas da Bahia e foi diretor-financeiro da Fieba em 1972/3. Ingressou no jornalismo em 1978, assumindo a direção da Tribuna da Bahia. Tornou-se conselheiro da ABI em 1986. Atuou como presidente da instituição de 13 de junho de 2011 até 10 de setembro de 2020, quando foi eleito para a Assembleia Geral da ABI. Casado com Gel Pinheiro, tem dois filhos: a médica Mariângela Guimarães e o engenheiro Walter Pinheiro Filho. É membro da Academia Rotária de Letras. 

“Jamais declinou de seus valores morais, éticos, profissionais e familiares. O seu trabalho aqui na presidência foi irretocável, impecável, e Ernesto Marques, muito inteligente, assimilou a sua postura”, avalia o diretor do Departamento Social, Nelson José de Carvalho. Admirador e amigo de Walter Pinheiro, coube a ele o discurso sobre a trajetória do confrade. Carvalho destacou a relação de Walter com sua esposa, Gel Pinheiro, que lhe foi amiga e o apoiou em todos os anos dedicados à ABI.

Foto: Joseanne Guedes

“Tudo que Walter faz tem brilho. Ele é uma pessoa obstinada, muito responsável, humano, eu sempre o apoiei em tudo. Walter é uma pessoa ímpar, iluminada. Um bom pai, esposo, foi um bom filho. Ele sempre brilha seja pela inteligência ou pelo ser humano que ele é, pela intelectualidade”, salienta Gel Pinheiro. “Eu fico feliz com essa homenagem, porque é mais uma etapa que ele vence”, celebra. 

Emocionado, Walter agradeceu os testemunhos dos colegas e amigos. “As emoções são grandes, são palavras generosas”. Parafraseando o poeta Douglas Bento, o ex-presidente afirmou que retratos revelam sentimentos. “Essa foto tem um significado fortíssimo para mim. Ela não representa apenas os nove anos da presidência, mas uma vida de 35 anos na ABI. Ali é o retrato da minha vida”, ressalta. 

Walter Pinheiro recordou a sua iniciação na ABI por intermédio de Jairo Simões, para assumir a área financeira, e sua trajetória até a presidência da entidade. “A minha primeira preocupação era cumprir a missão. Ser presidente da ABI é algo muito importante, e já com um ano e pouco há de entender o presidente Ernesto o que isso significa. Pelo clamor da sociedade, pela crença da sociedade e acima de tudo pelo respeito que essa instituição merece diante da nossa comunidade. Então quem a representa diretamente tem esse peso nos ombros”, avalia. 

Em seu discurso de agradecimento, Walter destacou a contribuição dos demais diretores e elogiou a parceria que, segundo ele, possibilitou uma transição harmoniosa e coerente. “Ernesto me acompanhou na vice-presidência desde o primeiro momento, sempre evitando divisão. No momento da transmissão, ele correspondeu plenamente”, lembrou.

Além de diretores da ABI, como o 1º vice-presidente Luís Guilherme, Jorge Ramos, Luiz Hermano Abbehusen, Carmelito Almeida, Pedro Daltro, Raimundo Marinho, Sara Barnuevo, Suely Temporal, Amália Casal, Simone Ribeiro, Valter Lessa, Valter Xéu, Nelson Cadena, Simone Ribeiro, Helô Sampaio, prestigiaram a solenidade Cybele Amado, diretora-geral do Instituto Anísio Teixeira, profissionais da imprensa e membros do Poder Judiciário.

Ação solidária

Há quatro anos a ABI trocou a tradicional brincadeira do amigo secreto por uma ação solidária junto a instituições assistenciais da capital baiana. Como em 2020, o grupo assistido deste ano foi o GACC-BA, grupo de apoio que oferta ajuda médica, financeira e psicossocial para crianças e adolescentes vítimas de câncer. A arrecadação de cestas básicas foi realizada junto ao quadro da Diretoria Executiva e associados da entidade. 

Foto: Joseanne Guedes

Roberto Sá Menezes, presidente do GACC, agradeceu a ABI pela solidariedade. “Mais um ano que a ABI tem essa iniciativa de arrecadar junto a seus associados cestas básicas para nossas crianças. É um agradecimento muito especial para a ABI, por estar pensando no nosso trabalho, pela preocupação com as crianças que são assistidas lá. São exemplos que devem ser repetidos, de demonstração de apreço com a vida humana”, frisou o filantropo.

Textos relacionados: