Notícias

ONU cria o Dia de Combate a Crimes contra Jornalistas

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou nesta terça-feira, 26 de novembro, uma resolução sobre a segurança dos jornalistas e a criação do Dia Internacional contra a Impunidade dos Crimes contra Jornalistas, a ser comemorado anualmente em 2 de novembro, data em que foram mortos os jornalistas Ghislaine Dupont, 57 anos, e, Claude Verlon,  55 anos, da Rádio França Internacional. Eles foram seqüestrados após  realizarem uma entrevista em  Kidal, no Norte do Mali.

– 89 jornalistas foram mortos no exercício das suas funções em 2012, e este foi o ano mais letal para os profissionais de imprensa desde 1995, quando a ONG Repórteres Sem Fronteiras(RSF) começou a publicar o seu ranking anual. Desde o início de 2013, 52 jornalistas foram mortos no exercício das suas funções, declarou o jornalista Christophe Deloire, diretor da RSF.

O anúncio da aprovação das medidas foi feito pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da França, Laurent Fabius.

-Pela defesa do direito de informar e de ser informado, é preciso apoiar firmemente a profissão do jornalista e ser rigoroso quando ocorrem ataques e crimes, declarou Fabius.

Violência

Em dezembro de 2006, a ONU aprovou a resolução 1738 que condena os ataques contra profissionais da comunicação social em situações de conflito armado. Já a medida aprovada nesta terça-feira, 26 de novembro, na Assembléia Geral das Nações Unidas, condena todos os ataques e violência contra jornalistas e profissionais de imprensa em situações de conflitos armados ou não, e evidencia o importante papel de todos os autores da informação.

A iniciativa enfatiza as obrigações dos Estados na prevenção da violência, nomeadamente através da apresentação dos responsáveis à justiça e apela aos Estados-Membros a adotarem iniciativas de prevenção e combate à violência contra jornalistas.

Para o diretor da RSF, a segurança dos jornalistas “é um pré-requisito essencial para fazer avançar a liberdade de expressão, a democracia, o desenvolvimento social e a paz.”

– A resolução aprovada pela Assembleia Geral da ONU escolheu uma data simbólica para o Dia Internacional Contra a Impunidade. Deste modo a ONU envia uma mensagem forte àqueles que perseguem os jornalistas, enfatizou Christophe Deloire.

Massacre

Vale lembrar que o Dia Internacional contra a Impunidade, outra data relacionada a casos de assassinatos de jornalistas, é lembrado no dia 23 de novembro, data do Massacre Ampatuan, nas Filipinas, ocorrido em 2009, quando 53 pessoas foram assassinadas, dentre as quais 32 profissionais de imprensa.

Fonte: Claudia Souza  com informações da PNN Portuguese News Network

Textos relacionados: