Notícias

Segundo jornalista indiano é queimado vivo em menos de 15 dias

Foi encontrado carbonizado o corpo de mais um jornalista indiano.  Sandeep Kothari, de 40 anos, foi sequestrado em sua residência localizada em Balaghat, no estado de Madhya Pradesh, na última sexta-feira (19). Ele e um amigo, também repórter, foram espancados pelos sequestradores. O corpo do jornalista foi encontrado no dia seguinte, apresentando queimaduras e sinais de espancamento, perto de trilhos de trem em Maharashtra. Este é o segundo profissional de comunicação assassinado nessas circunstâncias no país em menos de quinze dias. Três homens suspeitos do sequestro seguido e morte de Sandeep Kothari foram presos por policiais da região central da Índia nesta segunda-feira (22).

Segundo matéria da ABI Nacional , a imprensa local denuncia que o repórter pode ter sido agredido em razão das matérias que escreveu sobre a mineração ilegal de areia na região. Os jornalistas afirmam ainda que a categoria está sendo vítima de perseguição e intimidação por parte de policiais, políticos e empresários indianos. A família de Kothari também acredita que o crime esteja relacionado às reportagens sobre mineração de areia ilegal e a um processo judicial movido contra o jornalista por proprietários de empresas de mineração. Kothari trabalhava como freelancer para vários jornais de língua hindi, como o “Nayi Duniya”. “Estamos apurando o crime de todos os ângulos, mas ainda é prematuro concluir o motivo do sequestro e do assassinato”, disse o oficial de polícia local J. Markam à Press Trust of India, maior agência de notícias do país.

Sumit Galhotra, responsável pela seção da Ásia do Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ), repudiou a morte do jornalista e cobrou providências das autoridades. “O terrível assassinato de outro jornalista em menos de duas semanas é alarmante e é sintomático da cultura arraigada da Índia de impunidade. Instamos as autoridades indianas para lançar uma investigação independente sobre a morte de Sandeep Kothari, identificar o motivo e levar os responsáveis à justiça”.

De acordo com a ONG Repórteres Sem Fronteiras-RSF, a Índia ocupa a 136ª posição no ranking de 180 países no relatório “Índice de Liberdade de Imprensa Mundial”.

Leia mais – Jornalista indiano é queimado vivo por críticas a ministro no Facebook

Recorrente

Em 8 de junho, o jornalista indiano Jagendra Singh morreu após ter sido queimado vivo na cidade de Shahjahnpur, na Índia, por causa de uma postagem no Facebook que denunciava o ministro Ram Murti Verma, do Partido Samajwadi. A família revelou que a polícia ateou fogo nele. No último dia 11, o ministro indiano Ram Murti Verma foi preso acusado de ser o mandante do assassinato. A Anistia Internacional (AI) solicitou apuração rigorosa deste assassinato ressaltando tratar-se de “um ataque horrível que revela os perigos que os jornalistas enfrentam na Índia”.

*Luana Velloso/ABI com informações do PORTAL IMPRENSA e ABI Nacional.

Textos relacionados: