Blog das vidas

ABI lamenta a morte do jornalista Neomar Cidade

No final da manhã desta sexta-feira (4), o site Notícia Livre comunicou o falecimento do jornalista Neomar Cidade (78), um dos diretores do veículo. De acordo com a nota, ele faleceu nesta quinta-feira (3),  por volta das 22h, no Hospital da Bahia. Neomar havia se sentido mal durante passeio em um shopping da capital baiana, foi socorrido às pressas, ficou dois dias internado na UTI, mas não resistiu. A Associação Bahiana de Imprensa lamenta a morte do profissional e manifesta solidariedade a familiares e amigos.

Neomar deixa a esposa Vera Lucia, quatro filhos e seis netos. O corpo do jornalista será sepultado nesta sexta-feira (4), às 17h, no Cemitério Bosque da Paz, em Salvador.

Lembrado principalmente pela atuação na cobertura política, Neomar Cidade trabalhou no Diário de Notícias (Diários Associados), como repórter, editor e secretário de redação (12 anos), em A Tarde como noticiarista e editor (16 anos), no Correio da Bahia como editor político e secretário de redação (10 anos), e editor e chefe de redação da Tribuna da Bahia (11 anos). Paralelamente, editor da revista Bahia em Foco e do jornal impresso Bahia Notícias. Foi assessor de imprensa de órgãos como a Secretaria de Finanças da Prefeitura de Salvador, Centro Industrial de Aratu, Desenvale, Fundac, Assembleia Legislativa, da Prefeitura de Lauro de Freitas, Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, e outros.

“Eu fiquei surpreso com a notícia sobre o falecimento do querido amigo e conceituado jornalista. Com ele tive oportunidade de trabalhar bons anos, aproveitando e aprendendo muito da sua experiência e acima de tudo registrando a sua idoneidade, seriedade e devoção ao jornalismo”, disse Walter Pinheiro, presidente da Assembleia Geral da ABI.

Segundo Pinheiro, Neomar era daqueles “profissionais da boa cepa, que vem dos velhos tempos e com hábitos ainda cultivados nos anos 40, 50”, quando basicamente a comunicação era feita através da mídia escrita e os jornais reinavam no processo. Muito abalado, Walter Pinheiro, se lembrou da última conversa com o amigo e desejou que os familiares sejam confortados. “O que eu posso é transmitir o meu sentimento, o meu testemunho sobre os valores pessoal e profissional deste cidadão que muito enobreceu o jornalismo baiano”, declarou.

O presidente em exercício da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Paulo Rangel, também lamentou a morte do jornalista.

Textos relacionados: