Notícias

Bahia é 7° estado que mais mata negros no país

Na celebração do dia da Consciência Negra ( 20 de novembro) na Bahia,   o estado com um dos maiores contingentes de população negra, uma dura constatação. Estudo divulgado nesta terça-feira (19) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta a Bahia na quinta posição em perda de expectativa de vida para homens negros. O dado é apresentado no trabalho “Vidas Perdidas e Racismo no Brasil”,  situa o estado na sétima posição em homicídios contra negros em todo o país, com um percentual de 47,3 para cada cem mil pessoas, enquanto entre os não negros o índice é de 11,3 para cem mil. No caso de perda de expectativa de vida para não brancos, a Bahia fica na 18ª colocação. O estado com maior percentual de assassinatos contra negros no país é Alagoas, com 80,5 para cada cem mil. Divulgado um dia antes do Dia da Consciência Negra, comemorado nesta quarta-feira (20) de novembro, o estudo calcula impactos de mortes violentas (acidentes de trânsito, homicídio, suicídio, entre outros) na expectativa de vida de negros e não negros, baseados no Sistema de informações sobre Mortalidade (SIM/MS) e no Censo Demográfico do IBGE de 2010. No mesmo período, enquanto a taxa de homicídios de negros é de 36 mortes por 100 mil negros em todo país, a mesma medida para os “não negros” é de 15,2. Para cada homicídio de não negro, são assassinados outros 2,4 negros. Ainda de acordo com o levantamento, entre 1996 e 2010, foi constatado que não só características socioeconômicas, a exemplo de escolaridade, gênero, idade e estado civil, são determinantes em mortes violentas, mas também a cor da pele. Segundo a pesquisa, a vítima “quando preta ou parda, faz aumentar a probabilidade do mesmo ter sofrido homicídio em cerca de oito pontos percentuais”.

Programação

Apesar desta triste constatação que o estudo do IPEA divulga,  o dia da Consciência Negra em Salvador terá um a vasta programação cultural e artística.

O Pelourinho será um dos palcos mais importantes com uma programação especial gratuita  pelas suas ruas e largos. A destas atividades coordenação é do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), que integra o II Encontro das Culturas Negras, ação promovida pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia  para comemorar o denominado  Novembro Negro, projeto do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi).

Na abertura da comemoração do Dia da Consciência Negra, o Afoxé Filhas de Gandhy sairá em cortejo pelas ruas do Pelourinho às 20h, abrilhantando a noite com a tradição e a musicalidade de matriz africana.

Muitas programações artísticas acontecerão  no Largo Quincas Berro D’Água,  no Largo Tereza Batista e no Largo Pedro Arcanjo com atrações da música negra baiana, ritmos do candomblé, batidas de afrobeat e o jaz.

Fontes: site Bahianoticias  e Tribuna da Bahia

Textos relacionados: