Notícias

Morte do jornalista Ivan de Carvalho sensibiliza imprensa e políticos baianos

Não faltaram demonstrações de pesar pela morte do jornalista político Ivan Lemos de Carvalho, sepultado na tarde de ontem (7), em Salvador. O agravamento de problemas cardíacos e pulmonares fez o jornalismo baiano perder um de seus mais brilhantes profissionais, aos 69 anos. Jornalistas, editores e autoridades da capital e do interior do estado lamentaram a despedida do cronista, que, com ética e responsabilidade, conquistou o respeito de colegas e de todo o cenário político baiano. Na Assembleia Legislativa, foi observado um minuto de silêncio antes do início dos trabalhos em reverência à memória do jornalista, que desde 1991 trabalhava na redação do Diário Oficial do Legislativo.

Momento de descontração entre Ivan de Carvalho e o jornalista Vitor Hugo Soares, em outubro de 2013/ Foto: Bahia Em Pauta
Momento de descontração entre Ivan de Carvalho (à esquerda) e o jornalista Vitor Hugo Soares, em outubro de 2013/ Foto: Bahia Em Pauta

Ivan de Carvalho formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 1968. Já no 5º ano de curso, Carvalho atuava no Jornalismo, nunca tendo advogado. Voltado ao jornalismo político, ele foi chamado pelo seu tio Quintino de Carvalho para fundar o jornal Tribuna da Bahia, em 1969, onde participou ativamente da Escolinha da Tribuna, que formou alguns dos maiores profissionais do jornalismo na Bahia. No cenário nacional, Ivan de Carvalho ocupou, durante um período, a chefia da sucursal do Jornal do Brasil, em Salvador.

No sepultamento, o presidente da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) e do jornal Tribuna da Bahia, Antônio Walter Pinheiro, e o vereador e ex-governador Waldir Pires expressaram solidariedade aos familiares do jornalista. Walter Pinheiro também destacou a contribuição de Carvalho para a comunicação, ao longo dos anos em que atuou como repórter, redator, editor do Raio Laser e editor de política.

“A despeito de ser formado em Direito, Ivan tinha o jornalismo no sangue. Ele arriou a experiência jurídica em seus textos e notabilizou-se tanto na imprensa quanto na política baiana como um cidadão de idoneidade ilibada. Ético, independente e plural, transitava e acolhia todos os segmentos partidários. Ele era muito culto e assíduo leitor de livros, o que o fez um especialista em assuntos relativos ao “Código da Bíblia” ou códigos do Torah. Se eu fosse definir Ivan em uma palavra, seria ‘equilíbrio’, que foi como ele exerceu a atividade jornalística. Sem dúvida, a imprensa perdeu um integrante cuja personalidade deixou profundas marcas e influenciarão a nova geração de jornalistas”, afirma Walter Pinheiro.

“O BP perde um esteio generoso, um guia seguro e uma âncora firme e resistente como o Carvalho do seu nome. A Bahia perde o seu jornalista político brilhante, culto, inteligente e capaz de se renovar a cada dia, na abordagem de temas no seu universo inesgotável de assuntos. Do dia a dia dos bastidores da política partidária e do poder na Bahia e no Brasil, aos discos voadores, os OVNIS (Objetos Voadores Não Identificados), tema que ele dominava como poucos. Tudo com informações fartas, textos atraentes e criativos, éticos, críticos e não raramente autocríticos. Temperado sempre com doses de bom humor, uma marca de Ivan, pessoal e profissionalmente falando”, registra o jornalista Vitor Hugo Soares, editor do site Bahia Em Pauta.

A senadora Lídice da Mata falou da perda em pronunciamento no Senado. “Quero lamentar a morte do jornalista político Ivan de Carvalho. Uma perda realmente grande para o jornalismo da Bahia e do Brasil. Era um homem de posições políticas definidas, muitas delas bastantes diferentes das minhas, mas o respeitava muito como profissional do jornalismo e como articulista político culto, sagaz, sarcástico. Deixará, sem dúvida, um vazio na imprensa baiana”.

Em nota, o prefeito ACM Neto lamentou a morte do colunista da Tribuna da Bahia. “Todos os que acompanham a vida política da Bahia e do Brasil e as pessoas que queriam ficar informadas das notícias de bastidores tinham em Ivan de Carvalho uma referência. Ivan era muito rigoroso na apuração das informações e somente publicava o que tinha certeza. Por isso, certamente, será sempre lembrado como um dos mais importantes jornalistas políticos da Bahia”.

“O jornalista marcou sua trajetória profissional ancorada nos princípios da ética, expressando com firmeza e equilíbrio suas opiniões e comentários políticos em sua coluna do jornal Tribuna da Bahia, sempre pautado pela busca da verdade e consistência dos textos que escrevia”, ressaltou o governador Jaques Wagner.

*Informações da Tribuna da Bahia, do Bahia Em Pauta e do Bahia Já.

Textos relacionados: