ABI BAHIANA

II Simpósio Baiano de Jornalismo e Literatura discute temas sociais

Evento está de volta, com convidados especializados em economia, antropologia e estudos afrodiaspóricos

Saber escrever uma boa narrativa é dever comum entre jornalistas e escritores. Entender suas implicações políticas e sociais também. A segunda edição do Simpósio Baiano de Jornalismo e Literatura irá se debruçar nas interfaces do trabalho jornalístico, a atividade literária e a realidade social. O evento gratuito e aberto ao público, fruto de colaboração entre a Associação Bahiana de Imprensa (ABI) e a Academia de Letras da Bahia (ALB), será transmitido pelo canal de Youtube da ALB, nos dias 25, 26 e 27 de janeiro, às 18h30. Não há necessidade de realizar inscrição. Quem tiver interesse em receber certificado, deverá preencher a lista que será disponibilizada durante o Simpósio.

Seguindo a tradição iniciada na primeira edição, ocorrida em abril passado, o II Simpósio será aberto pelos presidentes das duas instituições. Para o jornalista e radialista Ernesto Marques, presidente da ABI, o evento contempla ambas as áreas com a gama de nomes convidados para a ocasião. “Este segundo simpósio traz uma programação muito rica, grandes nomes do jornalismo e da literatura e de diferentes gerações. Representa a consolidação de uma parceria estratégica entre ABI e Academia de Letras que esperamos reproduzir com outras instituições importantes da cultura baiana”, afirma.

“Esta é uma aliança que deve durar. Estamos no segundo simpósio e vamos ter o terceiro, o quarto e muitos outros mais. Vamos continuar trabalhando juntos sempre com essa mesma esperança, sempre com a mesma vontade de combater o obscurantismo e de promover cultura”, celebra o antropólogo, pesquisador e professor Ordep Serra, presidente da ALB. Ele falou sobre a expectativa para o evento, que aconteceria em novembro, mas foi remarcado em decorrência do falecimento do professor João Eurico Matta, um dos imortais da ALB, ocupante da cadeira 16 da entidade. Segundo Ordep, mais uma vez, o simpósio traz questões do “mais alto interesse público” para serem discutidas nas mesas. “Sem dúvida é uma boa notícia para todo o mundo da cultura saber que a Academia de Letras da Bahia e a Associação Bahiana de Imprensa estão trabalhando em conjunto na luta comum pelo conhecimento, pela liberdade e pela democracia.” 

Debates

A primeira mesa será mais que especial. Com o tema “Mídia, história, literatura: marcas da exclusão”, os convidados debaterão as marcas da censura e da autoafirmação no campo da escrita. A mesa contará com a presença da jornalista especializada em temas étnico-raciais Ana Alakija, especializada nos estudos afro-diaspóricos e pesquisadora nas áreas de História Oral, Diáspora Africana, Identidade e Famílias Afro-brasileiras; o escritor baiano Wesley Correia, poeta, ensaísta, ficcionista, professor e pesquisador na área de Estudos Étnicos e Raciais; a mesa estará completa com Ordep Serra. Na mediação, a jornalista Cleidiana Ramos, doutora em Antropologia. 

Pautando a Economia, outra área de conhecimento cujas repercussões afetam nossa realidade, a segunda mesa terá o tema “Mídia, política e economia: estratégias, interfaces”. O debate será coordenado pelo jornalista Luiz Fernando Lima, e terá as contribuições do jornalista e economista Armando Avena, ocupante da cadeira 38 da ALB e editor do portal Bahia Econômica; do professor universitário e editor do site LEIAMAISba Alberto Oliveira, jornalista especializado em Economia e Marketing Digital e o jornalista, empresário, professor universitário e compositor Raimundo Lima, ex-editor do jornal Tribuna da Bahia.

Para encerrar o evento, o debate “Cronistas e articulistas: um olhar crítico sobre a cidade do Salvador” discutirá o trabalho dessas figuras cujo ofício passeia entre o jornalismo e a literatura. Com as contribuições do arquiteto Paulo Ormindo de Azevedo, ocupante da 2ª cadeira da ALB e um especialista do Urbanismo e da conservação de  monumentos; o escritor e cronista, Jolivaldo Freitas, diretor de jornalismo no portal Notícia Capital; e o colecionador de arte Dimitri Ganzelevitch, produtor cultural e colunista. O jornalista Jorge Luiz Ramos, diretor do Museu Casa de Ruy Barbosa, intermediará a conversa. 

Serviço:

II Simpósio Baiano de Jornalismo e Literatura

Quando: 25, 26 e 27 de janeiro de 2022, a partir das 18h30 

Onde: Online, via YouTube da Academia de Letras da Bahia (ALB)

Mais informações

Assessoria: [email protected] / 71 98791-7988 (Wa)

Ernesto Marques – presidente da ABI: 71 99129-8150

Ordep Serra – presidente da ALB: 71 98869-1531

Site: http://www.abi-bahia.org.br/  | https://academiadeletrasdabahia.org.br/

  • Encontre a ABI nas redes sociais:

Instagram e Twitter: @abi_bahia | @academiadeletrasdabahia

Facebook: @abi.bahia

___________

Programação 

25 de janeiro / 18h30

Abertura: Ordep Serra (ALB) e Ernesto Marques (ABI)

Mesa 1 – Mídia, história, literatura: marcas da exclusão 

Ordep Serra, Ana Alakija e Wesley Correia 

Mediação: Cleidiana Ramos 

26 de janeiro / 18h30

Mesa 2 – Mídia, política e economia: estratégias, interfaces 

Armando Avena (ALB), Alberto Oliveira e Raimundo Lima

Mediação: Luiz Fernando Lima 

27 de janeiro / 18h30

Mesa 3 – Cronistas e articulistas: um olhar crítico sobre a cidade do Salvador 

Paulo Ormindo de Azevedo (ALB), Jolivaldo Freitas e Dimitri Ganzelevitch 

Mediação: Jorge Ramos

Assista!

Textos relacionados: