ABI BAHIANA

Sinjorba, Sinterp e ABI buscam reunião para discutir início da vacinação

Profissionais de imprensa foram incluídos ontem (18) na lista prioritária da vacinação contra Covid-19 no estado

Jornalistas com mais de 40 anos, além de radialistas, cinegrafistas, apresentadores, fotógrafos e blogueiros registrados se tornaram prioridade na vacinação contra a Covid-19 na Bahia. A decisão foi tomada nesta terça (18), durante a reunião da Comissão de Intergestores Bipartite (CIB), que reúne os secretários estadual e municipal de saúde, em uma vitória histórica dos profissionais da imprensa no estado. A inclusão foi resultado de uma forte campanha encampada pelo Sinjorba, juntamente com o Sindicato dos Trabalhadores em Rádio e TV na Bahia (Sinterp) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI).

Foram conversas e entendimentos junto às autoridades de saúde do Estado e dos municípios para incluir entre os segmentos prioritários na vacinação contra a Covid-19 os jornalistas e radialistas que estão na linha de frente do trabalho durante a pandemia. Agora, Sinjorba, Sinterp e ABI buscam reunião com gestores para discutir a operacionalização da vacina. “Por enquanto, estão incluídos os profissionais que estão realizando trabalho externo, na linha de frente. A luta pela vacina é a luta por aqueles que estão expostos, os trabalhadores em modalidade presencial”, explicou Moacy Neves.

“Este momento é para celebrar o reconhecimento da relevância da nossa categoria para garantir que as pessoas recebam informação de qualidade. A vitória é estarmos incluídos no rol das categorias prioritárias e vamos seguir na luta para que as outras faixa-etárias também sejam imunizadas”, garantiu o presidente do Sinjorba, Moacy Neves. O Sinjorba agradeceu “a sensibilidade do secretário Vilas Boas e de todos os gestores municipais de saúde, que acolheram os argumentos da entidade, reconhecendo o alto grau de adoecimento dos profissionais de imprensa, dada à enorme exposição a que são submetidos durante a execução de seu trabalho”, afirmou o dirigente.

Mortes de jornalistas por Covid-19

O jornalista e radialista Ernesto Maques, presidente da Associação Bahiana de Imprensa, ressaltou a importância da conquista, alcançada no mesmo dia em que o relatório da organização Press Emblem Campaign (PEC) registrou pelo menos 194 mortes de profissionais de imprensa desde março de 2020 no Brasil. O país liderava a lista de países com maior números de óbitos de jornalistas por Covid-19, mas foi ultrapassado pela Índia, com 200.

“Além da importância para uma das categorias mais expostas e mais vitimadas pela covid-19, a inclusão nos grupos prioritários fortalece nossas entidades, especialmente o Sinjorba, que liderou o processo”, observou. “Estaremos mais seguros para cumprir nossa missão e, desta forma, seguiremos contribuindo com informação qualificada para a superação da pandemia, cobrando vacinas para toda a população”, concluiu Marques.

O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, explicou que “a ideia é proteger os profissionais que estão em risco nesta classe essencial para a sociedade”. Na reunião de ontem (18), ficou definido que 70% das doses recebidas serão destinadas à continuidade da vacinação de grupos prioritários definidos no Plano Nacional de Imunização. Os demais 30% serão usados para vacinar a população em geral, com idade de 59 a 18 anos, de forma escalonada. A decisão da CIB será publicada no Diário Oficial do Estado na próxima quinta-feira (20).

*Com informações do Sinjorba

Textos relacionados: