ABI BAHIANA Notícias

Flica 2014 movimenta cenário cultural do recôncavo baiano

Um dos principais eventos literários do país foi iniciado na noite desta quarta-feira (29), com um passeio sobre a vida de Dorival Caymmi. Pelo quarto ano, a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) une durante cinco dias – de 29 de outubro a 2 de novembro – festa e literatura, em uma mistura que movimenta o panorama cultural do recôncavo baiano. Quem vivenciou as três edições anteriores da Flica, viu, ouviu e sentiu emoções inesperadas, conviveu de perto com intelectuais ilustres de outras terras e nações, ao mesmo tempo com uma população entusiasmada, envolvida na Festa e no propósito de bem receber a todos.

E este ano não é diferente. Autores nacionais e internacionais participam de 12 mesas especiais, debates e circulam pela cidade em contato bem próximo com seus leitores. Nesta edição, uma das grandes novidades é que o evento passa a homenagear um autor e a primeira será a Yalorixá Maria Stella de Azevedo Santos, Mãe Stella de Oxóssi. O saudoso escritor João Ubaldo Ribeiro, que participaria da festa, também será celebrado e lembrado com a mesa especial ‘Viva João Ubaldo Ribeiro’.

Foto: Ruan Melo
Mesa de abertura da Flica 2014 discute vida e obra do músico Dorival Caymmi – Foto: Ruan Melo/G1 Bahia

Na abertura realizada ontem, Stella Caymmi, neta e biógrafa do cantor e compositor baiano, e o escritor Marielson Carvalho, discutiram com bom humor momentos da história do músico, sob o tema “O tempo de Caymmi”. A homenageada, que conferiu a mesa de abertura do evento, foi convidada a falar sobre Caymmi. “Eu tenho muita saudade dele. Gosto. Você [Stella] herdou a simpatia dele, a simpatia, o jeito interessante de contar história. Torço por você sempre”, disse Mãe Stella.

Para hoje (30), segundo dia da Flica, estão previstas mesas sobre mercado e gêneros literários. Com a mesa “O país do compadrio”, a jornalista Consuelo Dieguez e o professor da Ufba Wilson Gomes vão discutir sobre os limites da camaradagem comum às famílias brasileiras. Às 15h, é a vez da segunda mesa do dia, cujo tema é “Bibliodiversos”. O debate trará a escritora baiana Kátia Borges e o autor catarinense Carlos Henrique Schroeder, que vão trocar experiências sobre a variedade dos gêneros e assuntos literários.

Já a programação musical começa às 22h, como grupo Transcendental, uma big band de jazz contemporâneo que mistura influências de filarmônicas e candomblé. Às 23h20 o ator Jackson Costa exibe sua arte na performance chamada “A coisa”, na qual interpreta poemas de várias épocas, acompanhado por uma banda de música popular contemporânea, formada por sintetizador, teclado, guitarra, violão, baixo e percussão.

Na manhã de sábado (1º), a mesa “A nobreza dos versos” terá a presença do poeta e jornalista Florisvaldo Mattos e do poeta Roberval Pereyr, com mediação do ator Jackson Costa.

Estrutura

O evento conta com três espaços distintos para abrigar sua programação: as mesas e encontros com autores acontecem no Claustro do Carmo; a Fliquinha – versão infantil da festa literária com lançamentos, oficinas e encontros com autores – está no novo cinema, o Cine-Teatro Cachoeirano. E na Praça da Aclamação, está o espaço especial para a programação musical.

A programação e os autores que estarão presentes no evento podem ser consultados através do site (www.flica.com.br), que também ganhou nova cara com a repaginação da marca do evento. As informações também são divulgadas nas redes sociais, nos perfis do Twitter (@flicaoficial) e do Facebook (FlicaOficial).

Confira a PROGRAMAÇÃO completa aqui.

*Informações da Flica e do G1.

Textos relacionados: