Notícias

Emiliano José lança livro autobiográfico no Congresso da UFBA

Prefaciado pelo reitor da instituição, “O cão morde a noite” propicia um mergulho nos tempos de terror da ditadura

Um mergulho nos tempos do terror. Talvez seja esta a melhor definição de “O cão morde a noite”, décimo quinto livro do jornalista e escritor Emiliano José. São mais de 400 páginas, onde a ditadura militar, nascida em 1964, aparece de corpo inteiro, com prisões, torturas, o arbítrio em estado puro. O livro publicado pela Edufba, editora da Universidade Federal da Bahia, tem prefácio assinado pelo filósofo João Carlos Salles, reitor da instituição de ensino. O lançamento ocorre virtualmente, durante o Congresso da UFBA, nesta terça-feira (23), às 16h30, com participações de Salles, dos jornalistas Adilson Borges e Mônica Bichara, e do próprio autor. O evento abre o 31º Festival de Livros e Autores da UFBA. (Confira ao vivo pelo canal da Edufba no Youtube)

Escrito em primeira pessoa, a obra se diferencia dos outros 14 livros já publicados pelo escritor, autor de muitas biografias: Carlos Lamarca, Carlos Marighella, padre Renzo Rossi e a última, sobre Waldir Pires, em dois volumes. Mas, apesar de ser autobiográfica, está longe de ser relato exclusivo da vida do autor. “É uma outra natureza. Nesse 15º livro, eu inauguro um caminho de falar em primeira pessoa, e de revelar-me mais, segundo as minhas memórias e lembranças. É diferente de todo o resto que produzi até hoje, e onde portanto abro o coração. Falo aquilo que penso e dialogando permanentemente com o leitor, numa espécie de roda de conversa à beira de fogueira lá no sertão”, adianta Emiliano José.

Segundo ele, esse livro dá a chance de o leitor conhecer o autor. “Tento revelar mais da minha subjetividade. Revelo rapidamente um bocado da minha formação teórica, de como nasceu a minha militância política, de como eu era um cristão conservador e passar à militância revolucionária a partir de certas influências. O leitor agora vai conhecer mais o autor dos 14 livros anteriores, conhecer também a minha família, suas desditas e suas belezas”, destaca o jornalista.

Um livro em transe

“O cão morde a noite” não aborda apenas a década de 60, ele invade a década de 70, que é quando Emiliano é preso e solto, em finais de 1974. “Eu analiso esse período, um período duro, de terror, do AI-5, período em que o filho chorava e a mãe não via, e que vai de 13 de dezembro de 1968 até a assunção do general Ernesto Geisel, que assume em 1974, com a promessa da distenção lenta e gradual, mas no entanto continua a matar”, conta Emiliano. Para o autor, seu mais novo livro relata e recorda tanto os sonhos, esperanças e utopias de uma geração quanto o terror, a ditadura, as mortes, as prisões, os sequestros e os desaparecimentos. “É um livro que toca numa ferida, a existência de uma ditadura que não podemos esquecer e cujo espectro nos ronda até hoje, não só pelas lembranças em todos nós sobreviventes, mas pelas posições declaradas desde a campanha pelo atual presidente, um admirador da morte, da tortura e da ditadura”, observa.

“O texto de Emiliano é com um tecido em transe, corpos correndo, corpos sendo afogados, sangue no pulso e na boca. Grito e silêncio. Transe. O trato feito consigo mesmo de nada delatar é como um pacto com a história, e ora se afirma, ora se vê desafiado. No caso de Emiliano, nunca se afrouxa. Morto, vivo, desmaiado, acordado – transe. Como tudo tem nome, tem data, no texto cinematográfico de Emiliano!”, elogia João Carlos Salles.

“É como se ele pudesse nos reconstituir cada cena e cada personagem chamando-as pelo nome. Em alguns momentos, tão intensa a trama e a narrativa que chegamos a sentir-lhes o cheiro. Esse livro, então, assim meio em transe, como um filho de cinema novo, como um Corisco que não se entrega, é um canto que marca muros e mentes, assim como um dia, em Salvador (e em parte, para protegê-lo, tornando pública sua prisão), apareceu a pichação ‘Liberdade para Emiliano’.”, registra o reitor no prefácio.

Serviço

Lançamento do livro “O cão morde a noite”

Dia 23/02 (terça-feira), às 16h30

Congresso Virtual UFBA 2021

Ao vivo pelo canal da Edufba no Youtube (clique aqui)

>> JOSÉ, Emiliano. O cão morde a noite / Emiliano José. – Salvador: EDUFBA, 2020. 426 p.

Textos relacionados: