Notícias

SRTE e Sinjorba firmam parceria para regularizar registros profissionais

Jornalistas que encontrarem inconsistência em sua inscrição poderão fazer o recadastramento de dados a partir do Sindicato

Centenas de jornalistas que precisaram recorrer ao Ministério da Economia para conferir seus registros profissionais tiveram uma surpresa: ao acessarem o link no site do governo (clique aqui), descobriram que a inscrição constava como inexistente. De acordo com o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba), os profissionais se depararam com a informação apenas quando o documento foi requerido no cadastramento para a vacinação contra a Covid-19.

“Nenhum registro encontrado” ou “Registro cancelado” são as mensagens mais comuns

Segundo o responsável pelos registros na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) – antiga DRT – do Ministério da Economia aqui na Bahia, Carlos Melo, o problema aconteceu porque houve migração de dados dos livros de registro para o sistema online. Quando os registros foram transferidos houve inconsistências haja vista que o sistema informatizado não aceitou as informações incompletas. E isso ocorreu porque quando muitos colegas fizeram seu pedido, muitos há décadas, estes dados não foram solicitados. Aliás, tudo era presencialmente, com cópias impressas dos documentos, com inclusão feita à mão. 

Inicialmente, a SRTE sugeriu que o trabalhador entrasse novamente no sistema e fizesse um novo pedido de registro. No entanto, após pedidos do Sinjorba e simulações feitas pelo órgão, foi sistematizada uma maneira de resolver, usando um recadastramento de dados feito a partir do Sindicato.

A partir de agora, quem ingressar no sistema do ME e encontrar inconsistência em seu registro, pode clicar neste link aqui, preencher os campos e anexar os documentos pedidos. Este cadastro será compartilhado entre o Sinjorba e a SRTE. Segundo o Sindicado, a regularização da inscrição é concluída em alguns dias, caso as informações fornecidas estejam corretas.

Textos relacionados: