Notícias

Sinjorba emite nota em solidariedade aos jornalistas do site BNews

Neste domingo (30), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba) divulgou uma nota de apoio aos jornalistas do site BNews, após polêmica em torno de uma matéria publicada sobre o embargo da prefeitura a um trio, no Farol da Barra. O Sinjorba reprovou postagens feitas nas redes sociais pelo casal Alberto Pimentel (PSL), secretário municipal de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel), e Dayane Pimentel (PSL), com ofensas contra o veículo.

De acordo com o BNews, na noite de sexta-feira (28) o Movimento Brasil Livre Bahia (MBL-BA) revelou ao veículo que o trio elétrico que seria usado na manifestação de domingo (30), no Farol da Barra, foi embargado pela Prefeitura de Salvador. A liderança do MBL na Bahia informou que os documentos haviam sido protocolados na Secretaria Municipal de Trabalho Esporte e Lazer (Semtel) e havia garantia da pasta de que o trio poderia ir ao local.

No entanto, segundo os líderes do MBL, a papelada não foi enviada pela pasta para a Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEMOP) supostamente por ordens de Alberto Pimentel, titular da Semtel. Em nota, a Prefeitura de Salvador declarou que, por uma questão de ordem pública, não foi autorizado o uso de trio elétrico na manifestação, já que a região está cedida para a Conmebol.

O casal Pimentel usou suas redes sociais para desmentir o MBL e criticar a cobertura do BNews. A deputada afirmou que para ela “o MBL nunca foi um movimento confiável. O da Bahia é um lixo”. Ela disse que “jamais embargaria qualquer manifestação. “Esta calúnia publicada pelo Bnews através do MBL e defendida por tantos políticos que têm medo da mídia ou se aproveitam da calúnia por questões eleitorais será acionada na justiça”, avisou. “‪Sinto-me uma guerreira: rodeado (sic) por cretinos, por um site criminoso (BNews -destruidor de reputações, que bateu em Bolsonaro durante toda a campanha e agora faz comigo). O MBL Bahia mentiu e mente. O site BNews nos caluniou e terá que provar. Não ataquei a imprensa geral, respondi apenas a esse site cretino e quero explicações na justiça”, garantiu a parlamentar.

Na nota divulgada, o Sinjorba afirma que a reportagem seguiu critérios jornalísticos e condena as declarações do casal. “O material foi elaborado dentro das normas do jornalismo e da ética de, ao receber uma informação checar a veracidade da mesma e buscar dar voz aos envolvidos no fato. Desconhecendo as técnicas de apuração da atividade jornalística, as citadas autoridades atacaram através das redes sociais a mídia e os profissionais em dissonância com o que manda a Constituinte em seu capítulo 5o. que trata da liberdade de expressão”, diz o documento. Para o Sinjorba, “cabe às autoridades estimular a paz social e não criar instrumentos de ódio, seja por meio de comunicação convencional ou através de hashtags, mantendo assim o decoro e a sobriedade que estes cargos exigem”, recomenda outro trecho da nota.

Reprodução/Facebook

Dayane Pimentel reagiu à nota do Sinjorba através de publicação em sua página no Facebook. “BNews, você, com seu jornalismo rasteiro, não me intimida. Eu não tenho absolutamente nada contra a imprensa baiana, tenho contra seu blog que usa de calúnia para se promover. O seu site é um lixo”, disse.

Alberto Pimentel resolveu divulgar fotos retiradas do perfil pessoal do repórter – Foto: Reprodução

Já Alberto Pimentel fez em sua página uma compilação de publicações do perfil pessoal do repórter que assina a matéria, Henrique Brinco. Ele se diz perseguido pelo jornalista “pelo simples fato de ser pessoa do Presidente Bolsonaro”. No post, Pimentel afirma que Henrique é “repórter militante esquerdista” e diz que o site BNews “não é imprensa”. Segundo ele, o repórter ligou na noite de sexta-feira (28) para perguntar sobre a acusação do MBL de que ele estaria barrando o trio. “Eu, prontamente, falei que não. Expliquei que o MBL estava tentando gerar polêmica e que, se quisesse, poderia colocar o trio em outro lugar da Barra. Também expliquei que manifestação popular não precisa de licença, não tem CNPJ e que a minha secretaria não estava impedido o protesto”.

O secretário alegou ter ficado surpreso quando viu o título da matéria no site. “O BNews desde, que cheguei à prefeitura, armou um complô contra mim. Tenho todos os prints de matérias maldosas que visam me prejudicar: tudo isso servirá como prova na justiça de que eles não fazem um jornalismo isento, têm o objetivo de atingir a minha honra e a do Presidente Bolsonaro”, destacou.

Essa não é a primeira vez que Dayane Pimentel rebate reportagens produzidas pelo BNews. Em fevereiro deste ano, ela se manifestou sobre o falecimento do bebê do policial Jorge Bruno Guimarães. Segundo ela, a esposa do militar perdeu o filho “após matéria difamatória” divulgada pelo site. “Por conta de uma manchete no site Bocão News, um casal acaba de perder um bebê. A imprensa é livre e eu considero importante para nossa sociedade o papel de servidor do povo que ela desenvolve. Mas na tentativa de atingir a minha reputação, o Bocão News mancha as mãos de sangue. Estou chocada com o nível que chegou esse veículo de imprensa”, disse a deputada na época.

Entidades reagem – Além do Sinjorba, o Coletivo #EuSouJornalista divulgou nota para “repudiar totalmente a postura de um secretário do município de Salvador que resolveu atacar pessoalmente o jornalista Henrique Brinco”, diz trecho. Para o grupo, “numa democracia é inadmissível tolerar atentados à Liberdade de Imprensa e o linchamento moral de um profissional que estava exercendo a sua profissão, buscando ouvir todos os lados para a produção de material jornalístico”. O coletivo concluiu dizendo que espera “manifestação da Prefeitura Municipal de Salvador diante da postura inadequada do secretário”.

Leia a nota do Sinjorba:
Sinjorba apoia e presta solidariedade aos jornalistas do BNews
A diretoria do Sindicato dos Jornalistas da Bahia Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) vem a público manifestar solidariedade e apoio ao jornalistas do site BNews cuja atividade está sendo atacada pelo secretário municipal de Trabalho, Esporte e Lazer, Alberto Pimentel (PSL) e pela deputada estadual Dayane Pimentel (PSL) devido a reportagem “Prefeitura embarga trio do MBL-BA para manifestação em defesa de Moro na Barra”, publicada no meio de comunicação, no último dia 28 de junho. O material foi elaborado dentro das normas do jornalismo e da ética de, ao receber uma informação checar a veracidade da mesma e buscar dar voz aos envolvidos no fato. Desconhecendo as técnicas de apuração da atividade jornalística, as citadas autoridades atacaram através das redes sociais a mídia e os profissionais em dissonância com o que manda a Constituinte em seu capítulo 5o. que trata da liberdade de expressão. Ao receber um cargo e um mandato público, o cidadão deve buscar informações sobre a legislação de seu país e não criar regras próprias de acordo com seus interesses pessoais. Cabe às autoridades, ainda, estimular a paz social e não criar instrumentos de ódio, seja por meio de comunicação convencional ou através de hashtags, mantendo assim o decoro e a sobriedade que estes cargos exigem.
Salvador, 30/06/2019.
Marjorie da Silva Moura – Presidente do Sinjorba
Notícias

Jornalistas se mobilizam para eleições no Sinjorba e Fenaj

As eleições para as diretorias do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) e da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), em 17 e 18 de julho próximo, estão movimentando a categoria. De acordo com o Sinjorba, até o final de maio, mais de 20 associados procuraram a entidade para regularizar a situação, aproveitando a anistia aprovada em assembleia realizada na sede da Associação Bahiana de Imprensa. Neste mesmo período, o Sindicato também ganhou novos associados, estimulados pelos debates e ações do movimento pela revitalização do Sinjorba.

“É um movimento que reúne novos e antigos associados, ex-dirigentes do Sindicato e até jornalistas que ainda não se associaram, mas querem participar. Fizemos quatro reuniões, com o objetivo de avaliar a situação da entidade e encontrar caminhos para reerguê-la, a partir do diagnóstico chegamos à chapa de unidade “Sou Jornalista, Sou Sindicato”, além do compromisso de apoio presencial de quem não participa dela. Por último, o Movimento promoveu um debate sobre a Reforma da Previdência e os impactos nos jornalistas. Estamos otimistas!”, conta Marjorie Moura, 55, atual presidenta do Sinjorba.

“Vivemos uma quadra adversa para os trabalhadores, quando os direitos e mínimas garantias de trabalho decente e digno estão sendo suprimidos a toque de caixa. Inaugurou-se a era do trabalho precário e sem regulamento, com o salve-se quem puder sendo a palavra de ordem, opondo colegas no mesmo ambiente de trabalho. Nós, jornalistas, temos um papel fundamental neste momento. Primeiro, garantir a unidade da nossa categoria para defender nossas conquistas e direitos. Segundo, transmitir à sociedade o quão nocivas são as mudanças que estão sendo feitas nas legislações trabalhistas e previdenciárias. Um Sinjorba forte, na vanguarda dessa luta, é um imperativo da realidade”, opina Moacy Neves, 49, assessor do Sindsefaz e da Casseb, candidato a presidente do Sinjorba.

Veja também: Jornalistas se unem para debater reconstrução do Sinjorba em assembleia

Um bom exemplo de mobilização vem de Manaus (AM), onde mora atualmente o jornalista George Pestana, 51. George, que também é formado em Direito, atua como promotor na capital do Amazonas, mesmo assim fez questão de se regularizar. “A organização dos jornalistas é fundamental para valorização da profissão e reconstrução da dignidade da atividade. Sem essa compreensão e compromisso, seremos vítimas da autofagia que nos cerca, lacerando os direitos mais básicos de quem nutre a informação. Por isso, resolvi me regularizar e compor uma nova era no Sinjorba”, justifica.

Ex-dirigente do Sinjorba, Sintsef e editor do site “Bahia Todo Dia”, o jornalista Edson Miranda, 60, estava afastado do Sindicato, mas decidiu retornar e apoiar a revitalização. Miranda analisa que na atual quadra histórica, o Brasil e o mundo passam por mudanças significativas que, certamente, determinarão o rumo das nossas sociedades. “Já sentimos tais mudanças através do processo de superexploração dos trabalhadores. Os jornalistas, assim como os demais trabalhadores, têm como opção para tentar escapar desse violento caminho, o fortalecimento de suas organizações sindicais e a construção de um inequívoco sentimento de solidariedade para com todos aqueles que estão e estarão sob essas mesmas condições de iniquidade”, observa.

Entre os associados mais recentes há uma manifestação de vontade de participar diretamente dos rumos da entidade que representa a categoria. Carla Bahia, 37, editora de texto da TVE Bahia, é uma porta-voz dessa ala. “Como crer em uma profissão longe de sua ideia de pertença? A sindicalização é uma forma de acrescentar ao coletivo no fortalecimento da profissão, ou no não enfraquecimento, diante de tudo que estamos vivendo, como também é endossar o assenhoramento individual dentro de uma categoria. É ratificar: Eu sou jornalista!”, explica.

Anista ampla – Em assembleia na Associação Bahiana de Imprensa (ABI), dia 4 de maio deste ano, o Sinjorba ampliou a anistia para os associados em atraso, que podem regularizar a situação pagando os seis primeiros meses de 2019 e a regularizando a mensalidade a partir de julho. A mensalidade custa atualmente R$30,00 e a semestralidade R$ 180,00, quantia que deverá ser paga a vista. Os débitos de anos anteriores serão desconsiderados.

Os interessados podem procurar a sede da entidade, na Rua Chile, 22, Edifício Bráulio Xavier, sala 301, Centro (em frente ao Bradesco), ou entrar em contato com a secretaria através do telefone (71) 3321-1914, das 13 às 18 horas, de segunda a sexta-feira, ou ainda enviar mensagem para o e-mail [email protected], para efetuar o pagamento mediante depósito ou transferência bancária para as contas do Sindicato, encaminhando ou levando pessoalmente o comprovante.

Os associados que regularizarem a situação poderão voltar a contar com serviços como descontos dos honorários em ações trabalhistas, acesso a planos de saúde disponíveis, documentos comprovando a atuação profissional para concursos, editais e seleções, entre outros.

Assim, para quem está adimplente e para quem regularizar a situação, o valor das carteiras da Fenaj e da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) passará, respectivamente, de R$ 400,00 para R$ 100,00, e de 55 Euros para 50 Euros, mais despesas postais. Mais informações no site www.sinjorba.org.br/.

Chapa de unidade – A chapa “Sou Jornalista, Sou Sindicato” unificou diversos segmentos da categoria, trabalhadores/trabalhadoras celetistas, MEIs, pequenos e médios empresários/empresárias, militantes políticos e não militantes, em Salvador e no interior do estado. Todos em torno da revitalização da entidade.

Composição da Chapa Executiva
Presidente: Moacy Neves (Assessor do Sindsefaz)
Vice-presidente: Fernanda Gama (Assessora do Sinpojud)
Secretário-Geral: Jeremias Santos (Assessor do Sindseps)
Secretário de Relações Institucionais e Jurídicas: Marjorie Moura (Repórter - A TARDE)
Secretário de Finanças: Ubiratan Passos (Repórter Cinematográfico - TV BAHIA)
2º Secretário de Finanças: Carmen Vasconcelos (Repórter – Correio)
Secretário do Interior: Marival Guedes (Freelancer)

Diretorias Setoriais
Diretoria de Formação Sindical e Defesa da Profissão: Eloi Correia (Repórter Fotográfico - SECOM-BA)
Diretoria de Comunicação, Cultura, Esporte e Lazer: Nestor Mendes (ALBA)
Diretoria de Saúde, Previdência e Assistência Social: Gabriela de Paula (Freelancer)
Diretoria de Relações de Gênero e Promoção da Igualdade Racial: Rita Conrado (Repórter - A TARDE)

Diretorias Regionais
Diretor Regional Sul: Daniel Thame (Itabuna)
Vice-Diretor Regional Sul: Valério Magalhães (Ilhéus)
Diretor Regional Extremo Sul: João Milton dos Santos (Eunápolis)
Vice-Diretor Regional Extremo Sul: Rubens Floriano Santos (Nova Viçosa)
Diretor Regional Norte: Suely Borges (Juazeiro)
Vice-Diretor Regional Norte: Ceres Marisa dos Santos (Juazeiro)
Diretor Regional Nordeste: Marly Caldas (Feira de Santana)
Vice-Diretor Regional Nordeste: Wilson Mário (Feira de Santana)
Diretor Regional Oeste: Miriam Hermes (Barreiras)
Vice-Diretor Regional Oeste: Ispedito de Oliveira (Barreiras)
Diretor Regional Sudoeste: Edna Nolasco (Vitória da Conquista)
Vice-Diretor Regional Sudoeste: Joana Rocha (Vitória da Conquista)
Diretor da Regional Sudeste: Tiago Henrique Batista (Jequié)
Vice-Diretor Regional Sudeste: Domingos Ailton (Jequié)
Diretor Regional Recôncavo: Alzira Costa (Cachoeira)
Vice-Diretor Regional Recôncavo: Manoel Macedo (Santo Amaro)

Delegado Junto à Fenaj: Ney Sá (Assessor do Sindmed)

Conselho Fiscal
1º Titular: Murilo Bereta (Assessor da Aduneb)
2º Titular: Regina Ferreira (SECOM-BA)
3º Titular: Lucimeire Freitas (Editora - A TARDE)
1º Suplente: Auriosvaldo Alves (Repórter Fotográfico - A TARDE)
2º Suplente: Claudio Bandeira (Professor de Comunicação)
3º Suplente: Arrison Marinho (Repórter Fotográfico - Correio)

Comissão de Ética
Kardé Mourão (Assessora do Sinposba)
Rubens Neuton (Aposentado)
Levi Vasconcelos (Colunista A TARDE)
Isabel Santos (Aposentada/Freelancer)
Ari Donato (Aposentado)
Mônica Bichara (Assessora da Câmara Municipal de Salvador)
Washington Souza (Professor – Facom UFBA)
Notícias

Zezão Castro celebra a cultura nordestina com cordel sobre as matrizes da festa junina

Oito anos atrás começava a história de Zezão Castro com o cordel. O jornalista produziu uma reportagem para o jornal A Tarde com texto que explorava as rimas e estrofes desse jeito diferente de fazer literatura, e hoje está no 10º cordel. “Fui cobrir a saída do Bloco Mudança do Garcia e o clima da festa me inspirou. Saí da redação com uma pauta e voltei com um cordel”, conta. No esquenta para os festejos de São Pedro, o jornalista e cineasta lança hoje (27) a partir das 19h o cordel “Auto Junino ou A Chegada de Gonzagão no Arraiá Celestial”, na Tropos Gastrobar, no Rio Vermelho.

O pai de Zezão é de Riachão do Jacuípe, interior da Bahia. Já a família materna é do Ceará, tendo sua mãe nascido no Espírito Santo. “Sou fruto de duas diásporas do sertão”, brinca o jornalista sobre sua influência nordestina. “É com muita alegria que lanço mais um cordel, este gênero literário tão brasileiro e tão desprezado”, afirmou Zezão à Associação Bahiana de Imprensa (ABI). O jornalista denuncia a omissão dos governos municipal, estadual e federal, que, segundo ele, “se fazem de surdos sobre o gênero”.

Matéria publicada no A Tarde, nesta quinta (27) – Foto: reprodução

Em entrevista ao jornal A Tarde, Zezão reiterou as críticas ao cenário da literatura de cordel. “Perdeu seu principal ponto “a Banca dos Trovadores e Repentistas” no Mercado Modelo. Hoje, não tem Ministério da Cultura, nem editais. O cordel é desprestigiado”, lamenta. Para ele, falta apoio do poder público e investimento.

Auto Junino – Dividido em três capítulos e com xilogravuras de Gabriel Arcanjo, o cordel fala das matrizes do São João. O texto tende para o lado histórico e aborda o surgimento e desenvolvimento das celebrações juninas. No início, ele explora a as ligações entre a festa junina e a religião. Em seguida, fala de música. É aí que ganha relevo o grande personagem: Luiz Gonzaga. Zezão destaca a importância do cantor cuja obra é uma verdadeira celebração ao próprio Nordeste. Segundo ele, quem for para o lançamento vai conhecer “a história de como uma festa pagã virou festa católica no Brasil, aparecimento de Gonzagão e seus desdobramentos”. (Com informações de Catharina Dourado para o jornal A Tarde).

SERVIÇO

O quê? Lançamento do cordel "Auto Junino ou A Chegada de Gonzagão no Arraiá Celestial"
Quando? 27 de junho (quinta), às 19h
Onde? Tropos (Rua Ilhéus, 214 - Rio Vermelho)
Notícias

Universidade em Nova Iorque oferece bolsas de jornalismo econômico

A Universidade da Cidade de Nova York (CUNY) está oferecendo bolsas no valor de US$ 15 mil para o desenvolvimento de reportagens com foco em jornalismo econômico. As inscrições estão abertas até o dia 28 de junho para jornalistas com pelo menos cinco anos de experiência profissional.

Para concorrer ao McGraw Fellowship for Business Journalism, é necessário preencher o formulário pelo site e submeter uma pauta de reportagem, de até três páginas, destacando o que é novo e significativo sobre a história, sua importância e impacto. Quanto ao formato da reportagem, o programa encoraja os jornalistas a pensarem num formato multimídia, com texto, vídeo e áudio.

O Centro McGraw oferece supervisão editorial aos bolsistas selecionados, que vão desenvolver os projetos em seus países, e também dá apoio para que as reportagens sejam publicadas em veículos norte-americanos e no site da instituição.

Veja neste link as histórias publicadas por bolsistas de edições anteriores do programa, que teve início em 2014 e é uma iniciativa da Faculdade de Jornalismo Craig Newmark da Universidade da Cidade de Nova York (CUNY). (Informações do Portal IMPRENSA)