Notícias

África do Sul e o mundo perdem Mandela

Humanidade se despede do ex-presidente que levou a reconciliação à África do Sul; Imprensa mundial destaca trajetória de Mandela contra o racismo

No dia em que a humanidade homenageia o principal representante do movimento antiapartheid, os principais jornais do mundo destacam em seus sites o exemplo de luta e o pacifismo do ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, morto nesta quinta-feira (5) aos 95 anos. Mandela lutou contra o domínio branco como um jovem advogado e foi condenado por traição em 1964. Ele passou os próximos 27 anos na prisão. Mas foi através de sua vontade de perdoar seus carcereiros brancos que Mandela deixou sua marca indelével na história.

Madiba, o nome de seu clã, se tornou também a forma carinhosa como seus conterrâneos passariam a chamá-lo. Na verdade, o líder africano nunca se chamou Nelson. Rolihlahla Mandela nasceu em Transkei, na África do Sul, em 18 de julho de 1918. Foi de um de seus professores a ideia de chamá-lo de Nelson. Seu pai, Henry, era um respeitado conselheiro da família realThembu, mas caberia ao filho se tornar o primeiro presidente negro do país, em 1994. O caminho para isso passaria por três décadas de prisão, parte delas numa pequena cela, em Robben Island. Onde, com sua serenidade, nunca se curvou e acabou conquistando o respeito mesmo dos guardas que o vigiavam.

Repercussão mundial

O The New York Times, dos Estados Unidos, salientou que, em vez de vingança, o líder africano sempre insistiu no perdão. Confira a seguir a repercussão da morte de Mandela na imprensa mundial:

New York Times: De rebelde prisioneiro a presidente

“As décadas na prisão e a insistência no perdão, em vez de vingança, fizeram de Mandela um poderoso símbolo da luta pelo fim do Apartheid, o sistema de dominação racial que existia na África do Sul.”

Le Monde: Nelson Mandela está morto

“O ex-presidente sul-africano e Prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela, que disse ter dedicado sua vida à luta pelo povo africano, morreu nesta quinta-feira, aos 95 anos.”

Corriere della Sera: Adeus ao patriota do continente negro

“Madiba” morreu aos 95 anos de idade. O presidente sul-africano, Zuma, anunciou a morte, em um discurso televisionado à nação. Prêmio Nobel da Paz, Mandela lutou contra o Apartheid e foi o primeiro presidente negro do país.”

The Telegraph: Nelson Mandela morre: reação e desdobramentos

“Siga os últimos desdobramentos na sequência da morte do ex-presidente sul-Africano e herói anti-Apartheid Nelson Mandela”

The Guardian: Nelson Mandela morre aos 95 anos

“Primeiro presidente negro da África do Sul, que liderou o país do Apartheid racial à democracia inclusiva, morreu depois de anos de declínio da saúde.”

 

Com informações dos jornais Zero Hora e El País