Notícias

Cobertura da tragédia em Mariana vence prêmio de jornalismo

capa_EMA cobertura intensa do jornal Estado de Minas sobre a maior tragédia socioambiental do país, provocada pelo rompimento de barragem da empresa Samarco, em Mariana (MG), venceu a quarta edição do prêmio de Jornalismo Promotor de Justiça Chico Lins. O trabalho mobilizou mais de 100 profissionais da empresa – entre repórteres, repórteres fotográficos, editores, ilustradores, diagramadores e motoristas. O objetivo do prêmio, segundo a Associação Mineira do Ministério Público, é estimular a publicação de matérias relacionadas com a atuação do Ministério Público brasileiro e reconhecer e premiar trabalhos jornalísticos que se destaquem por tornarem acessíveis ao público informações sobre o MP.

Indicação de leitura: Uma análise da cobertura socioambiental

O promotor que dá nome ao prêmio, Francisco José Lins do Rêgo Santos, era secretário da Promotoria de Defesa do Consumidor, o Procon Estadual, quando foi assassinado, em 25 de janeiro de 2002. Chico Lins, como era conhecido pelos colegas, foi morto com sete tiros durante investigação da máfia dos combustíveis em Minas Gerais. A premiação será no dia 25, quando se completa mais um ano da morte do promotor.

*Informações do EM.

Notícias

ONU convida jornalistas para conversar sobre a Cúpula do Clima

DEU NA ABI – Associação Brasileira de Imprensa

A Organização das Nações Unidas (ONU) organiza um encontro virtual no dia 3 de setembro  com o assessor de comunicação do Grupo do Secretário-Geral para as Mudanças Climáticas, Dan Thomas, e com o assessor do Setor de Desenvolvimento do Departamento de Informação Pública da ONU, Dan Shepard. A ocasião será para falar com jornalistas sobre os preparativos da Cúpula do Clima, e também seus possíveis resultados. Após uma breve apresentação serão respondidas perguntas da imprensa.

charge-mudança climáticaO evento focará nas ações e soluções adotadas por governos trabalhando sozinhos ou em conjunto com uma variedade de atores do setor privado e da sociedade civil para acelerar a redução das emissões e reforçar as resiliências nacionais em áreas como energia; poluentes climáticos de curta duração; cidades e transporte; agricultura e silvicultura sustentável; adaptação e redução de riscos de desastres; e financiamento climático.A Cúpula não faz parte do processo de negociação da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climáticas (UNFCCC), mas pretende promover ações nesta área – um ano antes do acordo que será alcançado em Paris – e pretende mostrar que líderes de todos os setores e em todos os níveis estão tomando medidas para reduzir os fatores que provocam as mudanças climáticas.

Também haverá Sessões da Plataforma de Ação para anunciar novas iniciativas em áreas críticas em que os governos, empresas e organizações da sociedade civil estejam se unindo para encontrar soluções. As discussões sobre políticas e práticas sobre a ação climática acontecerão durante Sessões Temáticas.

Como resultado serão apresentados os anúncios feitos pelos líderes do governo, setor privado e da sociedade civil sobre as ações que serão tomadas para enfrentar as mudanças climáticas. O secretário-geral apresentará estas iniciativas na conclusão da Cúpula.

O encontro terá um formato diferente: seu foco estará nas ações tangíveis. Após uma sessão de abertura, os Chefes de Estado e de Governo terão a oportunidade de anunciar novas ações que estejam implementando em nível nacional, especialmente nas áreas de financiamento; eficiência energética; energias renováveis; adaptação; redução do risco de desastres e resiliência; florestas; agricultura; transporte; poluentes climáticos de curta duração; e cidades.

O evento virtual será em inglês, na sede do Centro de Informação da ONU para o Brasil (UNIC Rio), no Palácio Itamaraty, na Avenida Marechal Floriano 196, no centro do Rio de Janeiro, às 16h de quarta-feira, dia 3 setembro. Os jornalistas interessados em participar devem confirmar presença com Vanessa Oliveira, no email [email protected] ou no telefone 21-2253-2211, até terça, dia 2 de setembro, às 17h.

 Sobre a Cúpula do Clima

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, convocou a Cúpula do Clima para engajar os líderes mundiais no avanço da agenda climática. A Cúpula servirá como uma plataforma pública para que os líderes mundiais (Estados-membros da ONU, setor privado, sociedade civil e líderes locais dos setores público e privado) mostrem o que estão fazendo e possam compartilhar os passos que irão tomar nas áreas mais críticas para que a temperatura do mundo suba menos de 2 graus Celsius.