Notícias

Salvador sedia Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo

Debater a comunicação do turismo nas diversas plataformas e trocar experiências da comunicação do setor com o mercado nacional e internacional. Esse é o objetivo do I Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo, realizado pelo FICET– Fórum Internacional de Comunicação de Ecologia e Turismo, de 22 a 26 de agosto de 2018, no Wish Bahia Hotel, em Salvador.

O evento reúne na capital baiana cerca de 100 profissionais de comunicação do turismo do Brasil e exterior, para discutir temas como a influência digital na comunicação do turismo, jornalismo literário, além promover visitas a estabelecimentos e instituições situados em pontos turísticos de Salvador e Região Metropolitana.

De acordo com a organização do evento, a presença dos jornalistas de turismo em Salvador resultará numa divulgação espontânea da cidade, através de reportagens e matérias veiculadas em jornais, revistas, rádios, TVs e Redes Sociais – blogs, sites e outros.  No roteiro das visitas estão a Cidade Baixa, o Corredor da Fé, os bairros do Bonfim, Ribeira, o Centro Histórico da primeira capital do Brasil e o município de Camaçari.

O encontro tem o apoio do CBTUR, Salvador Destination, Secretaria de Cultura e Turismo de Salvador (Secult), Prefeitura Municipal de Camaçari, ABIH/BA, FBHA, Senac, SEBRAE e demais entidades do trade.

*Informações do site Jornal de Turismo

Notícias

O histórico Palace Hotel vai reabrir na mais antiga rua do Brasil

Foi um dos grandes hotéis de luxo do Brasil, um símbolo de glamour entre os anos 30 e os anos 60 do século XX, o lugar onde todos queriam ser vistos e onde os paparazzi se acotovelavam à porta para apanhar a melhor foto dos famosos. E até personagens de ficção, como a Dona Flor, criada por Jorge Amado, sonhavam ir lá. Agora, o icônico Palace Hotel de Salvador da Bahia, situado na Rua Chile – a mais antiga do Brasil, fundada em 1549 – prepara-se para reabrir, em setembro, depois de profundas obras de recuperação.

Inaugurado em 1934 e desativado há cerca de dez anos, o Palace, que ocupa todo um quarteirão, foi inspirado no Flatiron Building de Nova Iorque e nos seus tempos de glória recebeu personalidades como Pablo Neruda, Orson Welles ou Carmen Miranda.

São mais de seis mil metros quadrados de área construída distribuídos por dez andares, em um investimento ascende aos 50 milhões de reais. O hotel terá 81 quartos, dos quais 12 são suítes, e ainda dois restaurantes (um dos quais, O Adamastor, no piso térreo), bares, salão de festas, salas de conferências e piscina, solário e ginásio no último piso, com vista para a Baía de Todos-os-Santos. Nas obras, iniciadas em 2014, foram recuperadas as 434 janelas de madeira do prédio e os mais de 200 adornos Art Déco, além do soalho e dos mármores originais.

O projeto de recuperação, que pretende manter o edifício o mais próximo possível do original, foi confiada ao arquitecto dinamarquês Adam Kurdahl, segundo o empresário brasileiro Antonio Mazzafera, da Fera Investimentos. Salvador é apenas o ponto de partida daquilo que a Fera pretende que venha a ser uma rede de “hotéis boutique diferenciados, misturando serviço personalizado com um produto com arquitetura e design únicos, sempre integrados com a cultura local”. Os investimentos serão feitos em “regiões subaproveitadas e com potencial de revitalização através de projetos inovadores”.

Para a cidade de Salvador, este promete ser também o início da revitalização de uma rua histórica, que entrou em decadência na década de 70, quando a cidade começou a crescer noutras direções. Há ainda muita gente que se recorda dos tempos áureos da Rua Chile, símbolo de requinte e elegância, onde se situavam as melhores lojas – entre as quais os dois grandes armazéns, a Sloper e a Casa Duas Américas – teatros como o de São João, famoso pelas festas de Carnaval e que foi destruído por um incêndio em 1923, e cinemas como o Glória ou o Guarani.

*Com informações de Alexandra Prado Coelho para o Blog FugasHotéis (Público.pt)

Notícias

Alterações no trânsito do Centro Histórico de Salvador ajudam turismo

Sem dúvida, entrar na região do Pelourinho pela porta da frente, ou seja, pela Praça da Sé é muito mais interessante, principalmente para os turistas. Com as inversões de sentido nas ruas do centro da cidade, já não é necessário passar pela estreita e desnivelada Rua do Saldanha para alcançar o principal ponto turístico da cidade. Essa mudança foi bem recebida pela população, apesar de muitos acharem que o trânsito de veículos, em certos pontos modificados, parece confuso.

Além de passar pela Praça da Sé, o turista começa a visita ao Centro Histórico transitando pela Rua Chile, que antes era rota de saída da região. No caminho até o Pelourinho, a paisagem é composta pelo prédio da Câmara Municipal de um lado e o Palácio Rio Branco do outro, sendo, portanto, um caminho mais agradável. Anteriormente, a entrada de carros na região era através da Rua da Ajuda, seguindo pela Guedes de Brito e pela Rua do Saldanha, uma rota apertada, repleta de comércios de material eletrônico e prédios antigos necessitando de reformas. Ou seja, uma entrada para o Pelourinho que poderia ser considera como uma porta dos fundos. O caminho agora é o de saída.

Para André Lopes, gerente do Hotel Bahia Café, localizado em frente à Praça da Sé, a mudança é uma afirmação do bom senso. “Demoraram para perceber que essa deve ser a entrada para o Pelourinho. É lógico, é mais bonito e mais convidativo para os visitantes, apesar dos inconvenientes”, disse se referindo ao problema criado com os táxis. “Como eles estão chegando, passam por aqui quase sempre cheios. Com isso, perdemos a facilidade de encontrar facilmente táxis na Praça da Sé. Agora nossos hóspedes têm que andar até o Terreiro de Jesus, ou ir para a Rua da Ajuda”, explica.

A entrada de veículos para o Terreiro de Jesus através da Praça da Sé é a única unanimidade entre a população sobre as mudanças. Alguns estão achando que o trânsito ficou confuso, o que só será possível evidenciar a partir de hoje, com o primeiro dia útil depois das modificações. “Acredito que vai engarrafar na área da Praça Castro Alves, com as retenções que antes não existiam”, disse o taxista Gilson Costa.

A retenção citada por Costa é fruto da nova sinaleira instalada no encontro entre a Rua Chile e a Rua do Tesouro. Como esta última agora recebe o fluxo de carro que segue para a Castro Alves em direção à Av. Carlos Gomes, o fechar e abrir da sinaleira, segundo o entendimento do taxista, impactará tanto a saída como a entrada de carros na região. “Ao fechar o sinal, vai acumular muitos carros na Rua do Tesouro, que é estreita. E quando abrir, uma retenção na subida da Castro Alves vai acabar engarrafando até a Avenida Sete”, ponderou antes de dizer que somente com o comércio aberto para saber a real situação.

Para o designer Marcos Vasconcelos, a confusão iniciou nesse domingo (28/7) mesmo. Para alcançar seu escritório, localizado na Rua do Tesouro, ele teve que ser orientado pelos agentes da Transalvador. “Além de a rua ter mudado de sentido, tive que estacionar em outra para poder chegar aqui”, conta, apontando que além da inversão de sentido, estacionar ao lado direito da rua, como fazia antes, ficou proibido.

Segundo José Raimundo Silva, agente da Transalvador, que trabalha no setor de programação de semáforos, apenas um novo semáforo foi instalado na região, no encontro da Rua do Tesouro com Rua Chile. “Foi necessário também inverter o sentido de dois semáforos, um ao lado da Prefeitura e outra na Rua da Ajuda”, conta. Ele informou ainda que toda sinalização vertical já foi instalada, faltando ainda parte da horizontal, cuja instalação foi atrasada devido as chuvas.

Fonte: Tribuna da Bahia

Notícias

Salvador tem 14ª hospedagem mais cara do mundo

Apenas Miami, nos Estados Unidos, e Punta Cana, na República Dominicana,  possuem hospedagem mais cara do que o  Rio de Janeiro. Esse foi o resultado encontrado pela Pesquisa Internacional de Preços da Hotelaria (PPH), realizada pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), que foi divulgada ontem.

A pesquisa comparou o preço das hospedagens  entre os principais destinos turísticos do mundo. A média do valor da hospedagem do Rio é de US$ 246,71. O valor é mais alto do que o registrado em  Nova York (US$ 245,82) e  Paris (US$ 196,17),  por exemplo. Salvador, por sua vez, ficou em 14º lugar com o valor de hospedagem de  US$ 126,11.

A pesquisa foi feita considerando estadas de dois adultos, por 7 dias, marcadas com 60 dias de antecedência. A coleta dos preços ocorreu de dezembro de 2012 a março deste ano e considerou o preço mais baixo dos hotéis da cidade.

 

Fonte: Correio