ABI BAHIANA

Live celebra aniversário da ABI e marca os 40 anos da morte de Glauber Rocha

A noite do dia 17 de agosto será especial para a imprensa baiana e profissionais ligados ao segmento audiovisual. A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) vai celebrar seu aniversário de 91 anos com uma live em homenagem a Glauber Rocha. Com transmissão pelo Youtube da ABI, a partir de 18h30 da próxima terça-feira, o evento “O script de um gênio do cinema” abre a programação comemorativa e terá como temática os 40 anos da morte do cineasta e jornalista. Para esse primeiro encontro de uma série de quatro lives, a ABI convidou o professor, jornalista e poeta Florisvaldo Mattos e José Umberto Dias, cineasta e crítico de cinema.

O tema da apresentação de Mattos será “Glauber Rocha, o criador que eu conheci”. Ele integrou em Salvador o grupo da chamada Geração Mapa (revista Mapa, em 1957-58), liderado pelo cineasta Glauber Rocha e integrado por nomes como João Ubaldo Ribeiro, Sante Scaldaferri, Calasans Neto e Paulo Gil Soares. Em sua exposição, o jornalista fará um relato da convivência com o amigo, tendo como base o artigo do livro “Academia dos Rebeldes e Outras Experiências Redacionais”, ainda em fase editorial e a ser lançado até o final deste ano.

“Além de multifacetado, vive em constante mutação”, assim José Umberto traduz Glauber Rocha e sua obra. Ele conta que ainda adolescente, em Feira de Santana, passou a admirá-lo. Notícias de jornais e de revistas, entrevistas, fotografias, livros que tinham referência ao cinema glauberiano chamavam a atenção do jovem futuro cineasta. Assim, José Umberto passou a guardar tudo que fazia referência ao colega conquistense. Atualmente, este acervo ocupa um armário inteiro em sua casa. São coleções de recortes de jornais, revistas, filmes, entrevistas, livros e mais. A boa notícia é que essas relíquias foram doadas por ele à ABI e em breve estarão disponíveis para pesquisas.

De acordo com o presidente da ABI, Ernesto Marques, em breve será formalizada a doação. “As estantes de Walter da Silveira estão sendo restauradas para receber o acervo de Zé, até que ele possa passar por todos os cuidados do Laboratório, antes de seguir para a reserva técnica do Museu de Imprensa”, adianta o jornalista.

Além dessa live de abertura, estão previstas outras três, sobre os temas: “O papel da imprensa: falhas e omissões” (24/08); “As MPs de Bolsonaro: mirou nos jornais, acertou na transparência” (31/08); e “Assédio judicial – uma ameaça em toda parte” (08/09). “Esta programação marca o início de uma etapa em que buscaremos promover cada vez mais oportunidades de reflexão sobre a complexa conjuntura vivida hoje e como ela afeta os profissionais de imprensa e o mundo da comunicação social”, destaca Ernesto Marques.

Bio dos convidados:

Florisvaldo Mattos é poeta, jornalista e articulista; professor aposentado da Universidade Federal da Bahia, pela Faculdade de Comunicação. Nasceu no Município de Ilhéus, Bahia, a 8 de abril de 1932. Cursou o ginásio na cidade de Itabuna. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade da Bahia em 1958, onde integrou a equipe de redação da revista Ângulos, durante três anos. Exerceu cargos em vários jornais, entre os quais os de editor-chefe de “A Tarde”, chefe de Redação do “Diário de Notícias”, ambos de Salvador, e de chefe da Sucursal do Jornal do Brasil, na Bahia. Editou o suplemento A Tarde Cultural, premiado em 1995 pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Membro da Academia de Letras da Bahia, onde ocupa a Cadeira nº 31 desde 1995.

José Umberto Dias é cineasta, crítico cinematográfico, roteirista, fotógrafo, dramaturgo, poeta e montador de filmes. Nascido em Boquim, Sergipe, em 26 de maio de 1949, foi adotado pela Bahia a partir de 1957, quando chegou a Feira de Santana, e depois a Salvador, em 1965. É uma referência da contracultura presente ao longo dos anos 70 no cinema baiano – ao lado de diretores como André Luiz de Oliveira (Meteorango Kid) e Álvaro Guimarães (Caveira, my friend). Começou sua história como cineasta num curso de iniciação cinematográfica, ministrado pelo Grupo Experimental de Cinema da Universidade Federal da Bahia, em 1968, quando ainda estudava Ciências Sociais naquela universidade. Formou-se em 1971, mas não deixou mais o cinema. Naquele mesmo ano, enquanto ministrava cursos de cinema no Sesc, preparava seu primeiro longa de ficção, lançado em 1972: O Anjo Negro, rodado em 35 mm. Durante a década de 1970 deu sequência a uma longa produção de filmes documentais em super-8. Em 2005, foi contemplado com o prêmio de estímulo à produção cinematográfica de baixo orçamento do Ministério da Cultura para a realização do longa Revoada, fruto de suas pesquisas pessoais nos últimos vinte anos acerca do cangaço.

__

SERVIÇO

Live de 91 anos da ABI – Homenagem a Glauber Rocha Quando: 17/08, às 18h30 Onde: Youtube da ABI

Mais informações

Assessoria: [email protected] / 71 98791-7988 (Wa)

Fontes disponíveis: Ernesto Marques – presidente da ABI: 71 99129-8150 | Simone Ribeiro – diretora de Divulgação da ABI: 71 98816-7285 | Nelson Cadena – diretor de Cultura da ABI: 71 99112-4623

Site: http://www.abi-bahia.org.br/

  • Encontre a ABI nas redes sociais: Youtube: @ABIBahia | Instagram e Twitter: @abi_bahia |Facebook: @abi.bahia
ABI BAHIANA

Comunicado: ABI suspende atendimento ao público

Em virtude das orientações de isolamento social, como medida preventiva contra o novo coronavírus, informamos que o atendimento presencial na sede da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) está suspenso. O expediente seguirá em sistema home office.

Disponibilizamos, em caráter de plantão, o endereço de e-mail da superintendência da entidade: <[email protected]>, responsável por redirecionar as demandas do público às equipes adequadas.

Walter Pinheiro
Presidente

Notícias

Encontro da Aberje Bahia traz discussão sobre comunicação e indústria criativa

Profissionais de comunicação, empresários e representantes de empresas de comunicação baianos atenderam ao chamado e ocuparam, na manhã desta sexta-feira (05), o auditório da sede da Coelba em Salvador, para a realização da 4ª edição do Encontro Aberje Bahia, com o tema “Revolução criativa na Bahêa: o que a Comunicação tem a ver com isso”. O evento é uma iniciativa do Capítulo Aberje Bahia da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial. Projetos de profissionais baianos do audiovisual, games, marketing cultural, além de case de marketing esportivo do Esporte Clube Bahia, foram apresentados ao público.  Entre os representantes de instituições do setor da comunicação mencionadas no encontro, esteve presente Luis Guilherme Pontes Tavares, Diretor de patrimônio da ABI.

Da esquerda para a direita: Alexandre Santos (Strike Games), Milena Anjos (Êpa Filmes), Marcelo Gentil (Aberje Bahia), José Enrique Iglesias (SSA Maping), Nelson Barros (E.C. Bahia) e Amine Darzé (Coelba) – Foto: Fernando Franco/ABI

Marcelo Gentil, Diretor do Capítulo Aberje Bahia e Gerente de Comunicação da Odebrecht S.A. em Salvador, defendeu, na abertura do evento, a “comunicação como cultura” frente às profundas transformações que as novas tecnologias da informação e comunicação estão trazendo para a sociedade, profissionais e as organizações. “A gente tem o objetivo, com esses encontros da Aberje e os cursos de qualificação, preparar o mercado, preparar o profissional para os desafios da transformação digital. Essa transformação impacta diretamente o ecossistema da comunicação e, consequentemente, os profissionais”, disse.

Criar uma rede de profissionais baianos e evidenciar as iniciativas bem-sucedidas da diversidade da indústria criativa no estado são propostas dos encontros promovidos pelo Capítulo Aberje Bahia. “Hoje o que a gente está fazendo é exatamente isso, pegando pessoas da área de games, da área de mapping, da área de marketing cultural, marketing esportivo e conectando essas pessoas com outras áreas de conhecimento”, pontuou Gentil. O diretor da Aberje Bahia olha para o futuro e visualiza desafios e oportunidades para os profissionais de comunicação e para as empresas também. “Ao mesmo tempo que é um desafio, no sentido de abrir uma janela para a área no mercado, temos o desafio de formar melhor os profissionais, além de conectá-los com as empresas e entidades de um modo geral, para que eles entendam o que é essa nova comunicação”, apontou.

Leia também: Em reunião da ABI, Marcelo Gentil fala sobre a reativação da Aberje na Bahia

A empresária Suely Temporal, sócia-diretora da agência de comunicação ATCom, avalia positivamente a iniciativa e vê a discussão sobre criatividade uma necessidade vital para o setor. “Criatividade é uma coisa que está muito relacionada com a comunicação, ainda mais no momento em que nós estamos vivendo, momento disruptivo, muitas mudanças na comunicação, na criatividade, no modo de consumo e no modo de vida das pessoas”, pontuou Temporal. Para Alexandre Santos (sócio da Strike Games), existe um mercado criativo com muitos projetos e ideias na Bahia, o que falta é “um lado gerencial, porque produção a gente tem com louvor”.

Banda Som Soteropolitano Ambulante – Foto: Fernando Franco/ABI

Além da apresentação de projetos baianos, como o game sobre a Revolta dos Búzios, de Alexandre Santos (sócio da Strike Games), a websérie Punho Negro, por Milena Anjos (Êpa Filmes) e a experiência de marketing cultural do Festival SSA Mapping, por José Enrique Iglesias, a plateia assistiu a apresentação da banda Som Soteropolitano Ambulante (SSA), que animou a todos com um repertório de clássicos da música brasileira, baiana e world music.

Notícias

TV Kirimurê estreia hoje programa Me Despache

A TV Kirimurê (canal 10.2) estreia hoje (19), às 21h, o “Me Despache”, idealizado e apresentado pela publicitária Luciana Reis. O projeto é uma iniciativa da Agência de Fomento a Negócios Locais e Étnicos Merc´Afro. O programa vai abordar, através de entrevistas e reportagens, temáticas como empreendedorismo e desenvolvimento econômico, com enfoque em iniciativas de organização econômica da população negra.

Segundo a página da Merc´Afro, a proposta é tornar assuntos como economia e consumo temas do dia a dia das famílias soteropolitanas. “Nosso objetivo é trazer para o cotidiano das nossas famílias a conversa sobre planejamento financeiro, organização de carreiras, empreendedorismo e consumo consciente, tornando a aquisição e uso do dinheiro um ato político de afirmação negra”, site Merc´Afro. Além da exibição às terças-feiras, à noite, também haverá reprise às 10h da manhã das quintas-feiras. A direção do programa é de responsabilidade de André Santana e Gustavo Pereira.

 Apresentadora Luciane Reis – Foto: reprodução/
Merc´Afro

A publicitária Luciane Reis, responsável pela condução do “Me Despache”, também é especialista em Produção de conteúdo para Educação online pela Faculdade de Educação da UFBA, mestranda em Desenvolvimento e Gestão Social na Faculdade de Administração da UFBA, atualmente desenvolve a pesquisa ‘O caminho do dinheiro negro: da escravidão ao empreendedorismo’.

A TV Kirimurê (Canal da Cidadania) é uma emissora sediada em Salvador (BA), com operação iniciada em 20 de novembro de 2016. O objetivo do canal é difundir a produção audiovisual da sociedade civil organizada e contribuir para a democratização da comunicação no país. Os interessados em participar da programação podem encaminhar seus projetos (conteúdos audiovisuais) para o e-mail [email protected] Os materiais recebidos passam por uma análise dos profissionais da emissora e, após a aprovação, são inseridos em uma das faixas da programação.

Conheça a ficha técnica completa do programa Me Despache:

Idealização, produção e apresentação: Luciane Reis

Direção: André Santana e Gustavo Pereira

Edição: Gustavo Pereira

Direção de arte: Lunnah Santos

Fotografia: Gustavo Pereira e Lucas Cerqueira

Maquiagem: Ana Andrade

Figurinista: Cáren Cruz

Site Merc´Afro: Adriele do Carmo e André Santana