Literatura

Solitário do lado de fora

Aloísio da Franca Rocha Filho*

“Solitário do lado de fora…”

Solitário do lado de fora
percebo dentro de ti ainda
o que restou de nós…
fragmentos…
não têm centro…
caem pela tangente dos teus olhos
inteiros…
tua alma…teu doce sorriso
me animava
e das perguntas do meu semblante
respostas mudas valiam menos
do que beijos…
eles me convenciam mais
torci para que perdesses
o trem
preferiste ganhar os trilhos
na estação do aceno vão…

e… enquanto…
enquanto o trem apitava…
suas rodas de aço
sobre trilhos… sobre dormentes…
ensaiavam as primeiras notas
de sua antiga cantiga…
“café com pão
manteiga não…”
“café com pão
manteiga não…”

“Em algum lugar…”

Em algum lugar
onde a vida não seja um sopro
e reine um silencio total
para um homem
qualquer, existe?
Metafísica…
metafísica do
silencio total
jamais escutei
esse a b s o l u t o…
quem já o ouviu?
voo raso de uma vespa-fada voadora
derrubaria seu
reino…

No banco do jardim um…”

 no banco do jardim um velhinho
cabeça toda branca descansa
os passantes olham-no
como a dizer
a vida é longa…
fotografam…
soprando o vento a favor ali
e contra eles o futuro próximo
se lograrem aqueles fios brancos…
quão breve a vida…
dirão

______

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é aloisio-da-franca-rocha-filho.jpg

*Aloisio da Franca Rocha Filho é professor e jornalista; ex-diretor da Associação Bahiana Imprensa (ABI)

Artigos

“Andanças”, de Jeremias Macário

Augusto Queiroz*

Acabo de ler a obra Andanças – Causos, histórias e versos, lançada em 2019 pelo jornalista, poeta e escritor Jeremias Macário de Oliveira, de longa e profícua trajetória na imprensa baiana. É o quarto livro do autor, de 385 páginas, obra viabilizada em edição colaborativa através de “Livro de Ouro”, with a little help of his friends, que são muitos… São várias as estórias deliciosas do livro, como a do velho hippie “Sugador de Mentes”, que saiu da Bahia num velho navio e percorreu mundo – África, Europa, Oriente Médio, Ásia – num batidão mochileiro e aventureiro digno de um filme de Bogart, retornando depois de 30 anos para finalmente se fixar na Chapada Diamantina, onde leva vida seminômade em permanente diálogo com a natureza….

Jeremias Macário

Diferentemente dos dois últimos lançamentos do autor – A Imprensa e o Coronelismo e Uma Conquista Cassada – a obra Andanças é uma mistura de ficção com realidade, em prosa – crônicas, contos – e versos. Como o próprio autor diz é um livro “que pode ser lido a partir do início, do meio ou do fim”. A maior parte da obra, [correspondendo a] cerca de 200 páginas, é de poesia. E as primeiras 165 páginas trazem uma prosa diversificada e de agradável leitura. Ponto para o ex-seminarista Macário, que desistiu de ser padre para ingressar no curso de Jornalismo da UFBA em 1970, diplomando-se em 1973. Mesmo ano em que foi admitido no jornal A Tarde como revisor, atuando logo depois como repórter de geral, especial, economia, redator e outras funções. Em 1991 mudou-se para Vitória da Conquista onde chefiou a sucursal de A Tarde até 2005. De parabéns pois o veterano jornalista por nos brindar – desde o seu refúgio cultural na cidade de Vitória da Conquista – com essa leitura divertida e agradável, que surpreende e encanta.

* Jornalista