Notícias

Mostra Mahomed Bamba evidencia força de cinemas negros

Todo o público soteropolitano fã de cinema e audiovisual aguardava ansioso pela abertura da segunda edição da MIMB – Mostra Itinerante de Cinemas Negros Mahomed Bamba, ocorrida no último dia 14. O nome da mostra é significativo. Mahomed Bamba foi professor adjunto da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (FACOM/UFBA) e pesquisador na área de cinema e audiovisual. Falecido em novembro de 2015, em todas as sessões, seu nome é elevado ao lugar de importância que criou nos longos anos de atuação e luta em prol de visibilizar os cinemas africanos. A programação segue até o dia 18 de agosto.

Foto: Reprodução

Ao todo, são mais de 70 filmes sendo exibidos em diversas regiões da capital baiana, incluindo bairros periféricos. Segundo conta a organização, “a Mostra tem o objetivo de ampliar as janelas de reprodução dos conteúdos nacionais e internacionais produzidos por realizadores negros”.

Por prezar por representatividade e proporcionalidade na produção, todas as responsáveis pela MIMB são mulheres negras envolvidas com cinema e audiovisual: Julia Morais e Taís Amordivino (coordenadoras de curadoria nacional); Kinda Rodrigues (coordenadora de curadoria internacional); Loiá Fernandes (coordenadora de produção); Naymare Azevedo (coordenação executiva).

A abertura foi realizada no Sesc Pelourinho, com shows da banda Afrocidade e participação da marcante voz de Margareth Menezes. A Afrocidade é considerada uma das apostas mais promissoras do cenário cultural baiano, oriunda do município de Camaçari e que produz um estilo musical marcado pela mistura do afrobeat, rap, ritmos jamaicanos, baianos e africanos. Outro nome novo na área musical, mas que têm se destacado também se apresentou, a cantora Nêssa e Yan Cloud, que em março deste ano lançou o seu último single de trabalho, intitulado “Que Calor”.

Mostrinha – Ilha de Maré, Calabar, Periperi, Goethe-Institut, Sesc Pelourinho, Centro Cultural da Barroquinha, Sala Walter da Silveira (Dimas), Casa de Angola e o Ponto de Cultura Boiada Multicor são os locais e instituições contemplados com o recebimento da mostra durante os dias do evento. Além dos filmes exibidos, acontecem também apresentações culturais, oficinas, palestras, exposição e circulação de novos conteúdos. Este ano, a MIMB lançou programação também para o público infantil com a sessão nomeada de “Mostrinha”.

Numa entrevista concedida ao Jornal da Manhã da Rede Bahia, a cineasta e idealizadora da mostra, Daiane Rosário contou com felicidade o orgulho da participação infantil nas exibições. Segundo Rosário, “a Mostrinha é o momento mais lindo da MIMB, onde a gente não só trabalha a questão da sessão de filmes, mas a gente faz contação de história, oficina de origami, oficina de Obayomi. A gente trabalha toda essa ludicidade, coloca pintura, todas as coisas para as crianças interagirem e o momento legal da sessão é quando elas se veem. Crianças pretas se vendo nas telas!”, conta, feliz. Assista a matéria completa a partir de 01:41.

  • Confira no Instagram Oficial da MIMB a programação para os dias 16, 17 e 18 de agosto.

*Supervisão: Joseanne Guedes

___

Relacionada: Mostra em Salvador celebra o audiovisual negro e homenageia Mahomed Bamba

Notícias

Mostra em Salvador celebra o audiovisual negro e homenageia Mahomed Bamba

Entre os dias 11 e 15 de abril de 2018, acontece em Salvador a I Mostra Itinerante de Cinema Negro – Mahomed Bamba, com o objetivo de visibilizar, difundir e debater a produção audiovisual realizada por cineastas negras(o)s de África e de sua diáspora. A mostra homenageia o ex-professor e pesquisador de cinema da Faculdade de Comunicação (FACOM/UFBA), Mahomed Bamba, falecido em 2015, depois de lutar contra um câncer no fígado. O evento contará com mesas de debates, oficinas para crianças, Oficina de Elaboração e Desenvolvimento de Projetos e o Minicurso de Cinema Africano. A abertura da mostra, no dia 11, no SESC Pelourinho, prevê um show da cantora baiana Luedji Luna.

Natural de Costa do Marfim, Bamba propunha em seus ensaios uma nova leitura sobre as narrativas fílmicas produzidas nas periferias globais, sobretudo as realizadas no continente africano. Ele era doutor em Cinema, Estética do Audiovisual e Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), e integrava o corpo de professores da FACOM desde 2009, onde atuava na área de Cinema e Audiovisual, além de ser professor e pesquisador do Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas.

O festival terá exibições regulares na Sala Walter da Silveira (DIMAS), no bairro dos Barris, e itinerantes nos bairros do Cabula, Uruguai e Garcia, reunirá mais de 35 obras de longas e curtas metragens realizados entre 2015 e 2017, produzidos por cineastas negra(o)s do Brasil e de países africanos de língua portuguesa, como Guiné-Bissau, Moçambique, Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial e de países da diáspora.

A I Mostra Itinerante de Cinema Negro – Mahomed Bamba é realizada por cineastas e produtoras audiovisuais, tendo como idealizadora, coordenadora geral e de produção Daiane Rosário; na coordenação de curadoria de filmes nacionais e produção, Julia Morais e Tais Amor Divino; na coordenação de curadoria de filmes africanos e produção, Kinda Rodrigues; coordenação de produção, Loiá Fernandes; e na coordenação de comunicação e produção, Inajara Diz.

O festival tem como parceiros, a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), a Diretoria de Audiovisual da Bahia (DIMAS), a Diretoria de Espaços Culturais, o Espaço Cultural de Alagados, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Salvador, o Centro Cultural Casa de Angola na Bahia, o Ponto de Cultura Boiada Multicor (UNIRAAM), a Aliança Francesa e Centro de Comunicação Democracia e Cidadania (CCDC), Instituto Mídia Étnica e Correio Nagô.

Acesse a página do evento e confira a programação.

Notícias

Morre Mahomed Bamba, professor da Faculdade de Comunicação da UFBA

Morreu, na madrugada desta segunda-feira (16), aos 48 anos, o professor da Faculdade de Comunicação (Facom) da Universidade Federal da Bahia (Ufba) Mahomed Bamba. Marfinense, Bamba havia descoberto recentemente um câncer devastador no fígado e foi acometido de uma infecção generalizada ao internar-se para um procedimento médico no Hospital da Bahia. Em nota, a FACOM expressou o luto pela morte do estimado professor e suspendeu todas as atividades Nesta segunda (16) e terça (17). Ufba deve emitir uma nota de pesar ainda hoje. As informações sobre o sepultamento, que deve ser realizado nesta terça (17), ainda não foram confirmadas.

De família francesa, Mahomed Bamba nasceu na Costa do Marfim, onde graduou-se em Letras na Université Nationale d´Abidjan, em 1992. Após escolher o Brasil como casa, concluiu o mestrado em Linguística Geral e Semiótica pela Universidade de São Paulo (USP), instituição na qual tornou-se doutor em Cinema e Estética do Audiovisual. Participou de livros coletivos sobre os cinemas africanos e publicou artigos sobre a temática da recepção cinematográfica e audiovisual.

Em 2009, Bamba assumiu a vaga de professor adjunto na Facom. Há quatro anos, ministrava a disciplina História do Cinema II, além de fazer parte do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas (PósCom). Na Bahia, o marfinense passou também pela Faculdade Dois de Julho, pela FIB e pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).

*Informações  Metro1