ABI BAHIANA

ABI recebe Aleluia que defende amplo debate sobre projeto à ponte Salvador-Itaparica

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) recebeu no dia 10.06 o secretário Municipal de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia. Durante o evento, Aleluia falou sobre o polêmico projeto de construção da Ponte Itaparica-Salvador. A palestra fechou o ciclo de debates promovido pela ABI, quando foram ouvidos o secretário José Sérgio Gabrielli e o professor Paulo Ormindo, do Instituto dos Arquitetos da Bahia – IAB.

Na opinião do secretário, o debate sobre a construção da ponte deve continuar e que a prefeitura de Salvador é a favor do equipamento, mas que não dará um cheque em branco e até agora o que ele viu ainda não foi o suficiente para se convencer de que esta seja a única alternativa de ligação entre a ilha e o continente. José Carlos Aleluia defendeu um amplo debate sobre a ponte e demonstrou preocupações com a possibilidade de já se está estudando as fundações de um projeto, cujo impacto ambiental ainda não está devidamente avaliado.

Aleluia afirmou ter sido o evento de suma importância para que a sociedade, através da ABI, pudesse discutir um projeto de grande repercussão para a vida de Salvador, Recôncavo e da Bahia: “É uma janela de oportunidade e não é à toa que quando fui convidado para discutir o assunto, vim com a disposição de cooperar e olhar os interesses imediatos para a cidade de Salvador. É nessa direção que nós vamos apresentar a discussão, pois queremos ver o projeto e desenvolvimento da região e de que forma essa ponte vai se inserir”.

Aleluia lembrou ainda que este é um projeto de desenvolvimentoda Bahia que abre um novo ciclo de expansão para o Estado: “A Bahia perdeu algumas vantagens competitivas, inclusive prestadas no Nordeste. A perda de posição, por exemplo, do Porto de Salvador em relação ao Porto de Suape é gritante. Hoje o movimento do porto pernambucano é o dobro do porto baiano. Para tanto, a ponte não pode ser uma coisa isolada e sim algo vivo numa cidade viva. Ela precisa ser vista como uma oportunidade de desenvolvimento do Estado da Bahia, pois trará o fluxo de duas estradas importantes que liga o Norte da Bahia ao Sul da Bahia, se tornando uma peça importante para a economia baiana”.

Ainda em declarações, o secretário Municipal de Urbanismo e Transporte disse ser de grande importância se estabelecer um padrão tradicional para a realização de grandes projetos, discutindo exaustivamente a sua concepção, as suas implicações econômicas, sociais, ambientais, paisagísticas e culturais, para finalmente se avançar nos estudos de engenharias:

“Nas décadas de 80 e 90, o Brasil destruiu a sua engenharia de consultoria de projeto e manteve a sua engenharia de produção. Se nós continuarmos fazendo projetos sem a devida concepção, como alguns que estão em andamento pelo país afora, sem nenhuma perspectiva de conclusão, podemos também estar destruindo a nossa engenharia construtiva, que é uma arma importante da economia brasileira”, concluiu o secretário.

“A ABI encerrou o ciclo de palestras, criado para enfocar o projeto da ponte, sentindo-se realizada em poder promover este Fórum de debate para um assunto que é de grande importância para a cidade. Estamos felizes e remunerados pela realização deste evento”, avaliou o presidente da ABI, Walter Pinheiro.

Fonte: Tribuna da Bahia

ABI BAHIANA

ABI recebe Paulo Ormindo com projeto alternativo à ponte Salvador-Itaparica

Com o titulo “Um abraçaco em Quirimurê, ou Uma alternativa ao projeto do governo do Estado à ponte Salvador-Itaparica”, o professor e arquiteto Paulo Ormindo deu continuidade, no dia 05.06, na sede da ABI-Associação Bahiana de Imprensa, ao Ciclo de Debates que a Associação realiza sobre temas/problemas relevantes da cidade de Salvador.

Quirimurê é um nome indígena da origem tupy. Significa Baia de Todos os Santos. O projeto do arquiteto Paulo Ormindo é hoje o único contraponto ao da ponte Salvador-Itaparica, do governo do estado da Bahia que o secretário do Planejamento do Estado José Sérgio Gabrieli defendeu ao abrir o Ciclo de Debates da ABI na semana passada.

A proposta do arquiteto desbanca a ideia de que a ponte – a segunda maior do Brasil (atrás da Rio/Niteroi) e uma das mais caras do mundo – trará progresso a Ilha de Itaparica e a Salvador tampouco suprirá a demanda da travessia marítima.

Para Paulo Ormindo, além dos impactos ambientais e do alto custo, a funcionalidade da ponte se esgotará rapidamente na medida em que levar ao centro de Salvador uma explosão populacional e de veículos oriundos de todas as cidades circunvizinhas.

Ele acredita ainda que o projeto do governo apresenta inúmeras incongruências: está na rota dos quatro portos do entorno da Baía de Todos os Santos e prevê horários de abertura da ponte para passagens de navios, paralisando o fluxo de veículos.

Gabrielli, naquela oportunidade, esclareceu vários pontos do complexo projeto mas os custos e financiamentos de um projeto de tamanha magnitude foram brevemente considerados. A plateia formada de arquitetos, especialistas em planejamento urbano e os diretores da ABI debateram com o secretário formulando perguntas e críticas. Na sua exposição, Gabrielli considerou o projeto do arquiteto Paulo Ormindo como “bucólico”.

No dia 10.06, palestra de José Carlos Aleluia, secretário de Urbanismo e Transporte da Prefeitura de Salvador, sobre o “O projeto da ponte e a (i)mobilidade urbana da cidade de Salvador: crise, desafios e planejamento”, fecha o ciclo de debates da ABI.

Fonte: Tribuna da Bahia

ABI BAHIANA

ABI recebe Sérgio Gabrielli com palestra sobre a ponte que vai ligar Salvador à Ilha de Itaparica

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) promoveu no dia 28.05 um debate com o secretário de Planejamento do Estado, José Sérgio Gabrielli, abordando o projeto da “Ponte Salvador-Itaparica”, que muita polêmica tem causado na opinião pública baiana. Em discurso, Gabrielli adiantou que até o primeiro trimestre de 2014 já terá a licitação para iniciar a construção da ponte.

No evento, o secretário discutiu sobre o projeto da ponte Salvador-Itaparica, tecnologia/custos e impacto ambiental na Baía de Todos os Santos e na cidade de Salvador: “Trago como novidade a discussão sobre a ponte, mais uma atividade de negociação e conversa com a sociedade. Na oportunidade discutiremos as implicações, as alternativas, as consequências e as divisões diferenciadas que existem sobre o assunto, além de ouvir e falar um pouco sobre o que o governo esta pensando”, adiantou Gabrielli.

O secretário disse ainda que, até o final da primeira semana do mês de junho será finalizada a licitação da sondagem: “Finalizaremos os processos de contratação de uma empresapara fazer os furos sobre a natureza das rochas no fundo da Baía, devemos estar recebendo as propostas para o projeto de engenharia básica, até o dia 7 de junho devemos receber as propostas para os estudos do impacto ambiental e até meado de junho nos receberemos as propostas para os estudos de plano urbanístico. Então com isso acredito que a partir de junho ou julho nós teremos contratado a todas as empresas para fazer os estudos preliminares, o que garante a informação, para preparar as audiências públicas, solicitar as licenças de prévias e, portanto, fazer a licitação para iniciar a construção da ponte ainda no primeiro trimestre de 2014”.

Para o presidente da ABI, Walter Pinheiro, a implementação da ponte é algo que deixou de ser apenas uma especulação para se tornar algo com estudos mais profundos e, devido a isso, a ABI, decidiu promover a discussão do assunto: “A ABI coloca o assunto em debate por entender que aqui é uma Casado Jornalista, onde todos vão se sentir mais a vontade para ouvir e questionar o secretário sobre as dúvidas existentes”.

Em sua explanação inicial, disse o secretário Gabrielli: “Acredito ser de grande importância chamar a atenção de que a ponte, em verdade não é apenas uma ponte, ela é a implantação de uma nova ligação entre Salvador, o Recôncavo e o Baixo Sul, viabilizando, portanto uma nova expansão das relações dos municípios da Região Metropolitana com a BR 116, a BR 242 e a BR 101. Isso faz com se tenha maior facilidade no fluxo de pessoas e de cargas entre essas regiões, e, nós esperamos que exista um impacto no desenvolvimento econômico, da mesma maneira que ocorreu no Norte da Baía de Todos os Santos, quando da BR 324.

O encontro, que aconteceu no auditório da ABI, na Praça da Sé, foi o primeiro de vários debates que a entidade realizará em 2013, sobre temas relevantes para a cidade. O objetivo é esclarecer e contribuir para a boa formação dos que aqui habitam e carecem de aprimoramento na infraestrutura urbana.

A ABI promoverá ainda neste semestre, sempre em seu auditório, mais dois debates, com o arquiteto Paulo Ormindo do IAB e com o secretário municipal de Urbanismo e Transportes, José Carlos Aleluia. No próximo dia 5 , o professor Paulo Ormindo falará sobre “um abraçaço em Quirimurê, ou uma alternativa crítica ao projeto do governo da ponte”, e no dia 10 de junho será a vez do secretário José Carlos Aleluia falar sobre “O projeto da ponte e a (i)mobilidade urbana da cidade de Salvador: crise, desafios e planejamento”, sempre com entrada franca”, disse o diretor da ABI, Aloisio de Franco Rocha, um dos promotores dos eventos.

Fonte: Tribuna da Bahia