ABI BAHIANA

Eleições 2020: Candidatos confirmam participação no debate promovido por ABI e OAB-BA

Uma reunião na manhã de hoje (21/10) serviu para acertar os últimos detalhes do debate que será promovido com os candidatos a prefeito de Salvador, no próximo dia 4, às 20h, no Centro Histórico da capital baiana. O evento a ser realizado pela Associação Bahiana de Imprensa (ABI), em parceria com a OAB-BA (Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Bahia), será a oportunidade para os postulantes ao Palácio Tomé de Sousa apresentarem suas propostas para a cidade. Durante a sessão online desta quarta-feira, as entidades proponentes do debate receberam sete representantes das nove coligações com candidatos à Prefeitura.

Com mediação da jornalista Suely Temporal, o debate será realizado na sede da ABI, no Auditório Samuel Celestino, e terá transmissão ao vivo pelas redes sociais. Na ocasião, a entidade concederá a Medalha do Mérito Jornalístico – maior comenda outorgada pela ABI – ao jornalista Samuel Celestino, ex-presidente da Diretoria Executiva e da Assembleia-geral da instituição. Esquema de segurança, regras do debate, detalhes da divulgação e da cobertura, disposição dos candidatos no espaço do auditório foram temas em pauta na reunião conduzida por Ernesto Marques, presidente da ABI, e pelo jornalista Paulo Fortes, assessor de comunicação da OAB-BA, que representou a entidade.

Veículos de comunicação de Salvador foram convidados para integrar um pool de retransmissão do debate e poderão confirmar a participação até o dia 28 de outubro, quando os representantes das coligações estarão na ABI para o sorteio das posições no auditório.

Estrutura e regras

De acordo com Ernesto Marques, presidente da ABI, o auditório será adaptado para o debate, visando a garantia das medidas contra a Covid-19. Cada candidato levará apenas uma pessoa ao Edifício Ranulfo Oliveira, as diretorias da ABI e da OAB-BA não estarão no local. Portas e janelas do auditório permanecerão abertas. O debate terá 3h de duração, com dois intervalos de 3 minutos, um depois da 1ª rodada e outro após a 3ª rodada. Os assessores representantes de cada campanha vão realizar uma vistoria no local antes do evento. Por causa da pandemia, não será permitido o acesso de pessoas não credenciadas. A cobertura jornalística no local ficará por conta da ABI e da OAB-BA.

“Os sorteios serão realizados na hora, para dar mais emoção e menos previsibilidade. Nosso desejo é que transcorra com o máximo de liberdade, inclusive na escolha dos temas, ênfase em propostas”, explicou o dirigente, acompanhado na reunião pelo vice-presidente da ABI, Luís Guilherme Pontes Tavares, e pelos jornalistas Jorge Ramos e Amália Casal Rey, também diretores da entidade. Marques reforçou a ideia do formato proposto para dar “mais fluidez ao debate, sem as amarras” das grades de programação das emissoras de televisão que normalmente promovem debates.

Foto: Reprodução/Zoom

Participaram da reunião desta quarta-feira Maísa Amaral – Olivia Santana (PCdoB-PP); Rafael Ribeiro – Cezar Leite (PRTB); Luan Santos – Bruno Reis (DEM/PDT); José Calasans – Celsinho Cotrim (Pros); Ícaro Souza – Major Denice (PT/PSB); Ártus – Rodrigo Pereira (PCO); Debora Alcantara – Hilton Coelho (PSOL); O candidato Bacelar (Podemos/Rede/PTC) não teve representação na sessão. O candidato Pastor Sargento Isidório (Avante/PSD/PMB) havia avisado que não participaria da reunião porque estaria em atividades de rua. Não descartou, no entanto, a participação no debate.

ABI BAHIANA

ABI/OAB-BA apresentam regras do debate para assessores das coligações

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) vai promover, em parceria com a OAB-BA (Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Bahia), um debate com todos os candidatos a prefeito de Salvador e um passo importante foi dado na manhã de hoje (19). Durante reunião online, a diretoria da Associação recebeu 8 dos 9 representantes das coligações com candidatos à Prefeitura da capital baiana. O evento será realizado no dia 4 de novembro, a partir das 19h, no Auditório Samuel Celestino, na sede da ABI. Na ocasião, a entidade concederá a Medalha do Mérito Jornalístico – maior comenda outorgada pela ABI – ao jornalista Samuel Celestino, ex-presidente da Diretoria Executiva e da Assembleia-geral da instituição.

A proposta do debate foi aprovada na primeira reunião mensal da nova diretoria da ABI, na manhã da última quarta-feira 14. O jornalista Ernesto Marques, presidente da ABI, enfatizou a proposta de aproveitar e dar mais fluidez ao debate, sem as amarras das grades de programação das emissoras de televisão que normalmente promovem debates. O dirigente enalteceu a contribuição de Celestino para a sociedade baiana. “O debate será um momento rico para a cidade e Samuel representa um guerreiro na luta em defesa da democracia, dos direitos humanos e da liberdade de expressão”, disse Marques.

Veículos de comunicação de Salvador estão sendo convidados para fazer parte de um pool de retransmissão do debate. Já estão confirmados o Bahia.ba (Levi Vasconcelos), Muita Informação (Osvaldo Lyra), Bahia Jornal (Evilásio Junior), Tribuna da Bahia. A produção do evento aguarda a adesão das rádios.

De acordo com Ernesto Marques, o auditório será adaptado para o debate, visando a garantia das medidas contra a Covid-19. Cada candidato deve levar apenas uma pessoa ao Edifício Ranulfo Oliveira, as diretorias da ABI e da OAB-BA não estarão no local. Portas e janelas do auditório permanecerão abertas. O debate terá 3h de duração, sem intervalos e sem divisão por blocos. “Os sorteios serão realizados na hora, para dar mais emoção e menos previsibilidade. Nosso desejo é que transcorra com o máximo de liberdade, inclusive na escolha dos temas, ênfase em propostas”, explicou o dirigente, que esteve acompanhado pelas jornalistas Simone Ribeiro e Suely Temporal, diretoras da ABI.

A segunda reunião será na quarta (21), às 9h, para definir outros detalhes do evento. Participaram da reunião desta segunda Marianna Dias – Olivia Santana (PCdoB-PP); Rafael Ribeiro – Cezar Leite (PRTB); Luan Santos – Bruno Reis (DEM/PDT); José Calasans – Celsinho Cotrim (Pros); Yuri Silva – Major Denice (PT/PSB); Artus – Rodrigo Pereira (PCO); Debora Alcantara – Hilton Coelho (PSOL); Ayna Soledad – Bacelar (Podemos/Rede/PTC); O candidato Pastor Sargento Isidório (Avante/PSD/PMB) não enviou representante e informou que não participará da próxima reunião, pois terá atividades de rua.

O presidente da ABI, Ernesto Marques, falou com a Rádio Metrópole sobre o debate. Confira entrevista:

ABI BAHIANA

ABI e OAB-BA promovem debate com candidatos a prefeito de Salvador

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) vai promover, em parceria com a OAB-BA (Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Bahia), um debate com todos os candidatos a prefeito de Salvador nos primeiros dias de novembro, em data a ser confirmada em reunião com representantes das coligações. A proposta foi alinhavada na semana passada entre os presidentes das duas entidades, Ernesto Marques e Fabrício Castro, e aprovada na primeira reunião mensal da nova diretoria da ABI, na manhã desta quarta-feira 14. O evento coincidirá com uma homenagem ao ex-presidente da Diretoria Executiva e da Assembleia-geral da ABI, jornalista Samuel Celestino, quando ele receberá a Medalha do Mérito Jornalístico – maior comenda outorgada pela Casa.

Na apresentação da proposta, o jornalista e radialista Ernesto Marques defendeu “não só a oportunidade, mas a necessidade de a ABI recuperar uma tradição de eleições passadas, promovendo uma confrontação civilizada de ideias e propostas para a cidade”. A ideia é “fazer uma reverência ao legado de Samuel para a ABI e para o jornalismo baiano numa grande celebração da democracia e por Salvador, que merece conhecer o pensamento de quem se apresenta para dirigir a terceira maior metrópole brasileira”, afirmou o presidente.

ABI e OAB-BA formalizarão ainda hoje (quinta-feira) convite aos representantes das coligações para informar da promoção e convidar para uma reunião online nos próximos dias, onde serão apresentadas as regras do debate. O evento acontecerá no Auditório Samuel Celestino, na sede da ABI, cumprindo rigorosamente todos os protocolos de segurança sanitária, desde o acesso ao Edifício Ranulfo Oliveira, e durante o evento, no oitavo andar do prédio, onde fica o espaço. Não haverá plateia, os comunicadores e advogados convidados para fazerem perguntas participarão ao vivo, mas de forma remota e os candidatos poderão levar apenas uma pessoa à sua escolha – dirigente partidário, candidato a vice ou assessor.

As entidades promotoras do debate convidarão todos os veículos de comunicação soteropolitanos a se associarem à iniciativa. A proposta é formar uma rede envolvendo meios impressos e eletrônicos, incluindo os sites e blogs noticiosos. Além da divulgação prévia, com entrevistas dos organizadores, anúncios e chamadas, no caso de emissoras de rádio e televisão, os veículos que se integrarem à rede farão a cobertura online e poderão retransmitir o debate a partir dos canais da ABI e da OAB no YouTube e demais redes sociais.

Medalha do Mérito Jornalístico

Instituída em 7 de agosto de 1985, a mais alta comenda da ABI é concedida a profissionais ou órgãos de comunicação brasileiros que se destaquem na defesa da liberdade de opinião, no combate à discriminação que atente contra a dignidade humana e na luta pelos direitos de cidadania. A Associação Brasileira de Imprensa, representada pelo jornalista Barbosa Lima Sobrinho, então presidente da entidade, foi a primeira a receber a comenda, em 1988. Outras seis personalidades receberam a mesma homenagem. In memoriam, os jornalistas Ernesto Simões Filho, o escritor e jornalista Jorge Amado e o ex-presidente da Associação Bahiana de Imprensa, Ranulfo Oliveira. A comenda foi outorgada ainda aos ex-presidentes da entidade, os jornalistas Afonso Maciel Neto e Jorge Calmon. Em 2011, o então governador Jaques Wagner foi o sétimo a receber a Medalha do Mérito Jornalístico.

O radialista e publicitário José Jorge Randam, ícone do rádio e pioneiro da televisão baiana teve a mesma honraria aprovada pela diretoria da ABI. Randam foi o autor da proposta de criação da outra comenda da entidade, a Medalha Ranulfo Oliveira. Também por unanimidade, a diretoria da ABI aprovou a concessão desta medalha ao jornalista e radialista Manoel Canário. Ele e José Jorge Randam receberão as comendas numa mesma solenidade, em data a ser marcada.

Mais homenagens

Durante a reunião ordinária desta quarta-feira, 14, os diretores da ABI aprovaram outras homenagens a figuras importantes para o jornalismo e a cultura baiana, por iniciativa do jornalista e pesquisador Luís Guilherme Pontes Tavares, vice-presidente da instituição. Luís destacou sua alegria e satisfação com a ampla participação da diretoria nessa primeira reunião deliberativa da gestão atual. “Gostei da condução, da naturalidade dos participantes e do conteúdo debatido”, avaliou. Luís Guilherme propôs a outorga da Medalha Ranulpho Oliveira para o jornalista Manoel Canário de 87 anos. Segundo ele, o jornalista Manoel Canário se enquadra em todos os requisitos que norteiam a escolha de agraciado com a honraria. Confira abaixo as moções propostas por ele e aprovadas pela diretoria da entidade:

ABI BAHIANA

ABI recebe Rui Costa na abertura dos encontros com pré-candidatos ao governo

O pré-candidato da chapa governista para as Eleições 2014, Rui Costa (PT), foi recebido pelo presidente da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), Walter Pinheiro, nesta sexta-feira (30), na abertura da série de encontros com postulantes ao cargo de governador do estado da Bahia. Durante o encontro, que reuniu na sede da instituição jornalistas e representantes de entidades da sociedade civil, o pré-candidato relatou uma série de projetos e obras que serão incluídos em seu programa de governo. Rui Costa elogiou o trabalho da ABI em defesa da liberdade de expressão e na luta contra a censura e tentativas de silenciar manifestações livres. Temas como mobilidade urbana, educação e cultura, logística e segurança pública foram abordados.

Rui Costa dividiu a mesa com o presidente da ABI, Walter Pinheiro, e o diretor Aloísio Franca Rocha Filho, que coordenou o encontro/ Foto: Reginaldo Ipê - Tribuna da Bahia
Rui Costa dividiu a mesa com o presidente da ABI, Walter Pinheiro, e o diretor Aloísio Franca Rocha Filho, que coordenou o encontro/ Foto: Reginaldo Ipê – Tribuna da Bahia

Na abertura, o coordenador da mesa, Aloísio Franca Rocha Filho, enfatizou a preocupação da entidade com a crise generalizada da representação política. “Estamos preocupados com a democracia. Isso significa que estamos também preocupados com as eleições e, consequentemente, com as propostas, projetos e intenções daqueles que pretendem conduzir o nosso estado”, disse o dirigente. A primeira questão dirigida ao pré-candidato indagou sobre a sua intenção de governar a Bahia. “Se seria por vaidade, disponibilidade desinteressada para servir a sociedade e/ou ambição pelo poder”.

Rui Costa respondeu à questão muito emocionado, ao lembrar-se de sua mãe, que faleceu há 19 anos vítima de câncer. O pré-candidato relatou sua trajetória difícil no bairro da Liberdade, onde cresceu enfrentando dificuldades. Para ele, a má distribuição de renda no Brasil foi uma das principais causas para o seu envolvimento com a política. “Eu cresci em uma encosta, vendo em meus pais o medo de desabamentos, além das dificuldades cotidianas. Isso é muito injusto. Eu quero ajudar a mudar esse cenário e sou muito determinado, busco todas as alternativas disponíveis”. O deputado federal contou que seus estudos foram concluídos na rede pública de ensino, sempre com o apoio da mãe.

Foto: Reginaldo Ipê/Tribuna da Bahia
Foto: Reginaldo Ipê/Tribuna da Bahia

Já sobre sua qualificação para ser governador da Bahia, Rui afirma que se preparou a vida inteira para o cargo. “Eu tenho certeza de que sou o mais bem preparado. Tive duas formaturas: na universidade, em economia; e outra de superação, da vida, porque tive origem humilde e sou determinado”. Perguntando sobre o que existe de singular em sua candidatura e como pretende vencer a barreira do desconhecimento pela maioria dos eleitores, ele foi taxativo. “Diferentemente dos outros dois principais candidatos, eu nunca tive a oportunidade de governar um estado ou uma cidade. Eles puderam mostrar seu estilo. Eu não. Quanto ao desconhecimento, podemos diminuir isso no período da propaganda eleitoral, além da realização de carreatas, encontros, comícios… Ainda é muito cedo”, afirmou Rui Costa, revelando a sua ansiedade em debater com a oposição os programas de governo.

Rui abordou alguns temas que devem ser priorizados em seu programa de governo. “Por muitos anos, o Nordeste esteve em segundo plano do ponto de vista do desenvolvimento nacional, panorama que está sendo alterado desde o governo Lula”. Questionado sobre a mobilidade urbana, Rui Costa enumerou diversas obras do governo do PT na Bahia que, segundo ele, melhoraram o trânsito em Salvador, como a Via Expressa, Complexo Viário 2 de Julho e viadutos na Paralela, além de rodovias construídas no interior.

Leia também: ABI realiza encontros com pré-candidatos ao governo da Bahia

A polêmica construção da Ponte Salvador-Ilha de Itaparica, cujo contrato para elaboração do projeto básico de engenharia foi assinado em março, não ficou de fora da discussão. De acordo com Rui Costa, o projeto não está descartado. “Precisamos pensar projetos grandes e a ponte é um projeto importante. O estado da Bahia não tem condições de arcar com os 6 bilhões de reais estimados para a realização das obras. Então, precisa de apoio da iniciativa privada. Exige um amplo plano de desenvolvimento”.

O presidente da ABI, Walter Pinheiro, encerrou a sessão e agradeceu a presença do pré-candidato, com votos de que a emoção com que Rui abordou sua trajetória de vida seja o “combustível para governar o estado”. Também participaram do encontro dirigentes da ABI, a presidente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), Consuelo Pondé, a presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba), Marjorie Moura.

No dia 4 de junho, às 9h, a ABI trará Paulo Souto (DEM) e no dia 9 de junho, também às 9h, Lídice da Mata (PSB). Os encontros também serão abertos a representantes de entidades da sociedade civil e profissionais da comunicação.

Fonte: ABI