ABI BAHIANA

Diretoria da ABI lamenta a morte do jornalista Eliezer Varjão

Na véspera do Dia do Jornalista, a imprensa baiana de despede de Eliezer Varjão, jornalista, empresário, ex-chefe de reportagem do jornal A Tarde e membro da Assembleia Geral da Associação Bahiana de Imprensa (ABI). Varjão morreu na manhã de hoje (6), aos 80 anos. De acordo com a redação de A Tarde, ele passou por complicações após dar entrada no Hospital Aliança, em Salvador, com um quadro de apendicite. Neste período, contraiu a Covid-19 e foi transferido em janeiro para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O jornalista deixa a viúva Ana Varjão, com quem foi casado durante 60 anos, e cinco filhos: Eliane, Léo, Elane, Elmar e Mauricio, sendo dois deles, Léo e Elane, também dedicados ao ofício do pai.

Eliezer Varjão completou 50 anos de jornalismo este ano. Do meio século dedicado à profissão, 33 anos foram no jornal A Tarde, onde chegou ao posto de chefe de redação. Ele se formou em Jornalismo na turma de 1971, a mesma do jornalista Tasso Franco, na antiga Escola de Biblioteconomia e Comunicação (EBC). Atuou como assessor de imprensa em diversos órgãos públicos, como a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e a Secretaria de Recursos Hídricos, trabalhando com nomes como João Durval, César Borges e Antônio Imbassahy. Eliezer também foi assessor de imprensa da Universidade Católica do Salvador (UCSal), da CDL e da OAB-BA, trabalhou no jornal Diários Associados antes de integrar o time de A Tarde, notabilizou-se como repórter político. Junto com os filhos Léo Varjão e Elane Varjão, ele comandava a empresa Varjão Comunicação.

Ernesto Marques, presidente da ABI, falou com pesar da morte do colega. “Varjão marcou sua passagem pelo jornalismo baiano, seja na redação do A Tarde, onde fez história, seja na comunicação empresarial, onde seus clientes são o melhor testemunho do seu profissionalismo. Para nós, da ABI, ele deixa uma lacuna enorme e a saudade da sua verve, sempre muito franco e fraterno ao defender suas posições”, lembrou.

“Preocupávamo-nos com a saúde do caro companheiro. Acompanhamos o seu sofrimento, os esforços da família para salvá-lo e a sua disposição de lutar. Sempre foi guerreiro. Mas, um dia precisava descansar, e este dia chegou. Ficam as saudades, os seus bons exemplos que passam para a história da imprensa baiana e onde deverão ser cultivados. Que Deus acolha sua alma e conforte seus entes queridos”, disse Walter Pinheiro, presidente da Assembleia Geral da ABI, órgão deliberativo do qual Eliezer era membro.

Comoção

A jornalista e colunista do jornal A Tarde, Cleidiana Ramos, também comentou a morte de Eliezer. Segundo ela, foi uma decisão do jornalista que garantiu que ela fizesse o teste e conseguisse uma vaga na redação, mesmo tendo apenas 15 dias de graduada. “Eliezer Varjão era o chefe de reportagem quando entrei em A TARDE, em 1998.  Ele foi quem deu a decisão final para que eu fizesse um teste com apenas 15 dias de graduada. Na época não havia estágio em A TARDE. Esse teste virou 17 anos de atuação como repórter do jornal. Varjão era rígido. Tomei várias broncas, mas aprendi lições preciosas e que guardo até hoje como a de que não há pauta perdida, mas apenas uma correção da abordagem. Ao mesmo tempo tinha doçura e, passado o tempo em que, inclusive disse que me testou de todas as formas, sempre manteve comigo uma relação de carinho.

No grupo que reúne a diretoria da ABI, mensagens lamentam desde o fim desta manhã a partida de Varjão e relembram a convivência com o amigo. Leia abaixo:

“Ele dava dicas preciosas. São quase 50 anos de bem querer”. – Helô Sampaio

“Você [Helô] e Varjão foram meus mestres em A Tarde. Lamento imensamente a perda do nosso querido chefe, como o chamava. Marcou uma época, marcou em todos que passamos pelo jornal, na época líder no Norte/Nordeste” – Sara Barnuevo  

“Estamos muito tristes. Varjão sofreu muito nos últimos meses e recursos não foram poupados para preservá-lo. Mas, Deus sabe o que faz. Deixa saudades e exemplos a serem cultivados” – Walter Pinheiro

“Um amigo e colega que sempre me honrou com sua amizade e muitas lições de jornalismo, de vida e até de política, nos tempos de redação e até depois. Não há muito que dizer, só chorar! Nossa solidariedade a Ana, Leo, Elmar, Elaine e todos os familiares!” – Raimundo Marinho

“Muito sentido. Aos 17 anos de idade iniciei no A Tarde, ainda na Castro Alves, e meus primeiros contatos foram Jehová de Carvalho e Eliezer. Grande amigo”.– Jolivaldo Freitas

Eliezer Varjão confraterniza com os amigos e diretores da ABI, no Auditório Samuel Celestino | Foto: Joseanne Guedes (2016)
ABI BAHIANA

ABI lamenta morte de PM e repudia ameaças contra a imprensa

A Associação Bahiana de Imprensa lamenta que a imagem da Bahia ganhe o mundo por conta das cenas registradas na véspera do aniversário de Salvador, tendo ao fundo um dos mais conhecidos cartões postais da nossa capital, e se solidariza com familiares, amigos e colegas do policial executado. O abuso do conceito sempre reivindicado pelas autoridades da Segurança Pública, de “uso progressivo da força” desta vez teve um agente das forças de segurança como vítima, mas cotidianamente cidadãs e cidadãos, protegidos pela Constituição com a qual todos estamos comprometidos, são vítimas dos excessos e do abuso desproporcional da força de armamentos e munições letais, comprados com dinheiro público e confiados a servidores civis e militares treinados e remunerados com a mesma fonte, qual seja, o trabalho de quem tem o direito de sentir protegido, em vez de ameaçado pelo Estado.

A ABI repudia ainda, mais uma vez, as cenas de despreparo e absoluta irresponsabilidade dos policiais envolvidos na operação de desfecho trágico para um dos seus, quando, a pretexto de isolar a área onde acontecia o cerco ao soldado em surto, as equipes de reportagem foram vítimas, felizmente não fatais, da mesma violência. Não se pode esperar menos do que a identificação, abertura de procedimentos disciplinares cabíveis e punição exemplar para os policiais que apontaram fuzis em direção aos jornalistas e dispararam para o alto.

Não é a primeira vez que a entidade denuncia e publicamente pede providências ao Comando-geral da corporação e à Secretaria de Segurança Pública, bem como ao comandante-em-chefe da Polícia Militar, secretário da Segurança Pública e o Exmo. Sr. Governador do Estado, sobre a forma abusiva e afrontosa como são tratados os profissionais de imprensa no cumprimento do seu dever de reportar fatos de interesse público. Trata-se de chaga antiga e conhecida, que transcende mandatos e comandos. Cada caso semelhante, premiado com a reiterada impunidade, constitui-se em estímulo para novos abusos com potencial para se converterem em novas tragédias.

A ABI espera uma ação efetiva e imediata destas autoridades quanto a mais este episódio de abuso a suceder uma extensa lista de precedentes não menos absurdos.

Ernesto Marques
Presidente – ABI

ABI BAHIANA

AVISO: Sede da ABI está com atividade presencial suspensa

Informamos que, devido às medidas restritivas adotadas para combater a pandemia de Covid-19, estão suspensas as atividades presenciais em todos os espaços da Associação Bahiana de Imprensa (ABI). Dessa forma, não será possível consulta aos acervos da Biblioteca de Comunicação Jorge Calmon, Museu Casa de Ruy Barbosa e visitação ao Museu de Imprensa. Avisaremos quando as atividades culturais e de pesquisa forem restabelecidas. Agradecemos a compreensão.

Secretaria: [email protected]

Administração: [email protected]

Biblioteca de Comunicação Jorge Calmon: [email protected]

Museu de Imprensa | Museu Casa de Ruy Barbosa: [email protected]

Comunicação: [email protected]

ABI BAHIANA

Em cerimônia restrita, toma posse a nova diretoria da ABI

Exatamente há 90 anos, a Câmara Municipal de Salvador se fez palco para a posse da primeira diretoria da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), cuja presidência era ocupada por Altamirando Requião. Na manhã deste 10 de setembro, foi a vez de outros atores assumirem o Conselho Diretivo da ABI, em uma posse marcada pelo ineditismo da transmissão ao vivo pelo Youtube (assista aqui). Uma cerimônia restrita a poucos convidados, por causa da pandemia de Covid-19, reuniu no auditório da entidade, no Centro Histórico da capital baiana, profissionais da imprensa, autoridades públicas e representantes do segmento da cultura.

Eleita para o biênio 2020-2022, no último dia 31 de agosto, a Chapa Cervantes tem como presidente o jornalista Ernesto Marques, que sucede a Walter Pinheiro. A vice-presidência passou para o jornalista e escritor Luís Guilherme Pontes Tavares. Os diretores assumem o compromisso com a luta em defesa das liberdades democráticas e do livre exercício das atividades da imprensa, valores que pautaram a ABI ao longo de sua história.

Walter Pinheiro e Ernesto Marques | Foto: Fábio Marconi

Walter Pinheiro, agora presidente da Assembleia Geral da ABI, relembrou conquistas de sua gestão, como a recente reimplantação do Museu de Imprensa, e mostrou entusiasmo com a nova diretoria. “Ernesto já acumula 18 anos na ABI, tem inúmeros e importantes serviços prestados à Associação. Sua gestão já começou com a formação de um Conselho Diretor de alto nível”, salientou o jornalista.

Em um discurso forte e emotivo, o jornalista e radialista Ernesto Marques enfatizou o clima de harmonia da passagem de bastão, a necessária mudança de cultura geracional e reverenciou personagens centrais para a história da ABI, a exemplo de Ranulfo Oliveira, Thales de Freitas e Samuel Celestino, que presidiu a ABI por 25 anos. O novo presidente expressão gratidão e admiração a Walter Pinheiro. “Sob a liderança serena de Walter Pinheiro aprendemos que qualquer assunto é possível”. Baiano de Ipirá, Marques fez do pronunciamento de posse um mergulho em sua trajetória familiar e profissional, destacando vivências e memórias.

Foto: Fábi Marconi

Vozes femininas

A presença feminina em funções executivas é um traço da atual gestão: Sara Barnuevo, na Secretaria-geral; Suzana Alice Pereira, na Primeira Secretaria, e Simone Ribeiro, no Departamento de Divulgação. Julieta Isensée segue como suplente da Mesa da Assembleia-Geral. Helô Sampaio estará no Conselho Fiscal, Suely Temporal, no Conselho Consultivo, e Amália Casal Rey, como Suplente da Diretoria de Patrimônio.

Foto: Fábio Marconi

A jornalista Simone Ribeiro estará à frente do Departamento de Divulgação da ABI. “A ABI, ao longo dos seus 90 anos, teve mulheres em seu quadro de associados, algumas com destaque em suas profissões, no campo das artes e da cultura, mas essa diretoria encabeçada por Ernesto, e com o apoio do ex-presidente Walter Pinheiro, talvez dedique à mulher um espaço inédito”, observou. De acordo com a diretora, a maior presença feminina irá repercutir não apenas na gestão, mas na proposição de debates pautados nas lutas da mulher jornalista no mercado de trabalho.

“São mulheres com carreira no mercado e que têm muito a contribuir para a gestão que chega. Nós, mulheres, temos um olhar mais sensível e diferenciado. Tenho certeza que teremos uma administração muito positiva nesse aspecto”, destaca Sara Barnuevo, a nova secretária-geral.

“A presença de mais mulheres na diretoria da ABI é um sinal de avanço concreto, porque não adianta a gente falar em igualdade de gênero, de ocupação de espaços entre homens e mulheres, e não tornar isso prático. Então, quando você traz efetivamente mais mulheres na diretoria com funções de destaque e importância, você está tornando prático seu discurso”, avaliou Moacyr Neves, presidente do Sinjorba – Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia. Para ele, a ABI deve crescer com a presença de Ernesto na presidência.

O jornalista Pacheco Maia, secretário municipal de Comunicação (Secom/PMS), falou de sua expectativa com a diretoria empossada. “A ABI chega a quase cem anos mostrando a necessidade de renovar e um novo presidente representa isso, a renovação dessa instituição de grande relevância para a sociedade baiana. A imprensa é um pilar da democracia”, afirmou. Ele acredita que a nova gestão abrirá novos horizontes. “Ernesto é muito empenhado em realizar as coisas. É um renascimento, novo ânimo, nova força. Espero que a gente possa contar com a ABI, que ela continue contribuindo para o avanço da nossa sociedade, fortalecendo a democracia. Que se faça cada vez mais forte a sua voz nesse diálogo com o poder público”, concluiu Maia.

Foto: Fábio Marconi

Gardênia Duarte, desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), enalteceu a atuação da ABI e reforçou o seu compromisso de zelar pela liberdade de imprensa e combater o cerceamento ao trabalho dos profissionais do setor. Ela destacou o posicionamento do presidente do TJ-BA, desembargador Lourival Trindade, que desejou que a ABI “continue trilhando o retilíneo caminho da boa informação, sempre comprometida com os valores mais caros e sacrossantos da democracia”.

Também prestigiaram o evento o desembargador federal Valtércio Oliveira; o advogado Antônio Luiz Calmon Teixeira, 2º vice-presidente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB); a educadora Cybele Amado, diretora-geral do Instituto Anísio Teixeira e esposa do novo presidente da ABI; o coordenador do Projeto Cultural Cantina da Lua, Clarindo Silva; o presidente do Sinjorba, Moacy Neves; o Capitão de Mar e Guerra Leonardo Silva Reis, representando o comandante do 2º Distrito Naval vice-almirante André Luís Silva Lima; e o general Leonel Filho, comandante da 6ª Região Militar-Região Marechal Cantuária.

Confira abaixo a nova composição da Diretoria da ABI:

ASSEMBLEIA GERAL

Presidente –  Antônio Walter dos Santos Pinheiro

Vice-Presidente  – Sérgio Augusto Soares Mattos

Secretaria   José Valter de Lessa Pontes

Suplente – Eliezer Varjão Bomfim

Suplente – Julieta Miranda Isensée

DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: Ernesto Dantas Araújo Marques

1º Vice-Presidente: Luís Guilherme Pontes Tavares

2º Vice-Presidente: Florisvaldo Mattos

Secretário Geral: Sara Barnuevo

1º Secretário: Suzana Alice Pereira

2º Secretário: Romário Costa Gomes

Diretor Financeiro: Antônio Pereira de Matos Júnior

Diretor Patrimônio: Raimundo Marinho dos Santos

Suplente: Arthur Andrade

Suplente: Amália Casal Rey

Suplente: Luiz Henrique Sá da Nova

CAIXA DE ASSISTÊNCIA

Presidente: Raimundo de Campos Vieira

Secretário: Benevaldo Amorim dos Santos Silva

Tesoureiro: Valter Xéu

DEPARTAMENTOS:

Cultura: Nélson Varón Cadena

Social: Nelson José de Carvalho

Divulgação: Simone Ribeiro

Casa De Ruy Barbosa: Jorge Luiz Ramos

CONSELHO CONSULTIVO

1.Joaci Góes

2.Jolivaldo Freitas

3.Valber Roberto Carneiro Carvalho

4. Suely Maria Temporal Soares

5.Carmelito Walter de Almeida

Suplente: Paulo Nunes

Suplente: Isidro Octávio Amaral Duarte

Suplente: João Leite

CONSELHO FISCAL:

1.Jorge Vital de Lima

2.José Pedro Daltro Bittencourt

3.Heloísa Gerbasi Sampaio

Suplente: Wilson Luiz Midlej Silva

Suplente: Luiz Hermano Abbehusen

ABI – REGIONAL NORTE/ NORDESTE

Presidente: Jair dos Santos Cezarinho

ABI – REGIONAL SUL

Presidente: Maurício Maron