Notícias

Jornalistas lançam livro sobre a história da televisão no Brasil

Alguns dos mais importantes profissionais da TV foram entrevistados pelos jornalistas Flávio Ricco e José Armando Vannucci, para compor o livro Biografia da Televisão Brasileira – um painel amplo desse veículo que desde 1950 cativa corações e mentes brasileiros, e que se tornou um símbolo da cultura nacional. De acordo com a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), o livro traz em dois volumes de 464 páginas cada provavelmente a maior, mais extensa e significativa pesquisa sobre a história da televisão no Brasil, com conhecimento, diversão e informação.

A obra recém-lançada pela Matrix Editora não segue uma ordem cronológica da primeira até a última página, mas o faz dentro de cada assunto tratado ao longo de seus 54 capítulos.

No primeiro volume, entre outros temas estão os pioneiros e sonhadores da TV. O aparecimento da Tupi, Record, Excelsior, Globo e Bandeirantes. Como as emissoras acabaram direcionando suas primeiras programações para o público feminino. Como eram exibidos os programas em cidades diferentes, num tempo em que não havia satélite, e como a força das novelas ajudou a moldar a programação, fazendo o sucesso de atores e atrizes.

No segundo volume, a evolução do jornalismo televisivo e das transmissões esportivas. Os programas de rádio tornam-se o grande referencial das emissoras de TV, fornecendo conteúdos e formatos. A evolução da teledramaturgia. Quem foram e quem são os grandes comunicadores. A chegada dos seriados, dos reality shows e das novas tecnologias, entre tantos outros assuntos importantes. A capa é de autoria de Hans Donner.

*Informações da Associação Brasileira de Imprensa (ABI)

Notícias

Luis Henrique Dias Tavares recebe homenagem no Arquivo Público da Bahia

Por Luís Guilherme Pontes Tavares*

Em 20 de setembro (quarta-feira), às 15h, no auditório do Arquivo Público da Bahia, a coletânea “Capítulos de história da Bahia – Independência”, organizada pelas professoras Maria das Graças de Andrade Leal e Avanete Pereira Sousa, terá novo lançamento e, desta vez, elas e os demais autores homenagearão o professor doutor Luis Henrique Dias Tavares, Emérito da UFBA e Honoris Causa da UNEB, a quem a obra é dedicada. A propósito do local do evento, o professor dirigiu o Arquivo durante dez anos nas décadas de 1950 e 1960.

As organizadoras registram na página 12 da “Apresentação” que a “homenagem desta coletânea ao nosso importante e querido mestre, professor e historiador Luís Henrique Dias Tavares, deve-se ao reconhecimento da sua trajetória intelectual, política e profissional dedicada ao fortalecimento da cultura historiográfica na Bahia que influenciou gerações de estudantes, colegas e amigos que tiveram e têm a oportunidade de usufruir das suas experiências, dos seus conhecimentos e ensinamentos. Além de se constituir em historiador destacado que muito tem contribuído para a historiografia baiana, por revelar novos temas e análises profundas sobre acontecimentos que marcaram a história social e política da Bahia, como o estudo inaugural sobre a conjuração baiana de 1798 e a Independência do Brasil na Bahia, atuou ativamente na formação de muitos professores e pesquisadores enquanto docente e pesquisador da Universidade Federal da Bahia”.

Registre-se, ademais, que o livro estampa, entre as páginas 23 e 44, o ensaio “Homenagem. Luis Henrique Dias Tavares. Trabalho, dedicação, precisão e crítica”, com o qual as professoras Maria José de Souza Andrade e Marli Geralda Teixeira informam sobre a vida e a obra do professor e colega. O ensaio se encerra com a lista das obras dele no campo da História.

Além dos quatro autores citados, o livro Capítulos de história da Bahia – Independência tem textos dos professores Patrícia Valim, Paulo César Oliveira de Jesus, Pablo Antônio Iglesias Magalhães, José Flávio Pereira, Argemiro Ribeiro de Souza Filho e Maria Aparecida Silva de Souza, Lina Maria Brandão de Aras, Sérgio Armando Diniz Guerra Filho, João José Reis e Hendrik Kraay e Lucas F. Junqueira. O livro de 442 páginas, cuja edição foi iniciada em 2013, tem os selos editoriais da UNEB e da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (ALBA).

*O jornalista e historiador Luís Guilherme Pontes Tavares é diretor da ABI.