Notícias

Adep-BA entrega Prêmio de Jornalismo e Acesso à Justiça Ivan de Carvalho

Os vencedores da 1ª edição do Prêmio de Jornalismo e Acesso à Justiça Ivan Lemos de Carvalho, promovido pela Adep-BA, foram agraciados na manhã de sexta-feira, 21, em cerimônia no auditório do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. A premiação aconteceu durante a solenidade de posse da nova diretoria da entidade eleita para o biênio 2014/2016. Os três finalistas foram escolhidos pela comissão julgadora, composta por representantes da Associação Baiana de Imprensa (ABI), do Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia (Sinjorba), da Adep-BA e da Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadep).

Claudia Bonatte, da Rede Bahia, divide o prêmio com a repórter Andréa Silva - Foto: ADEP-Ba
Claudia Bonatte, da Rede Bahia, divide o prêmio com a repórter Andréa Silva – Foto: ADEP-Ba

Autora de reportagens intituladas “Série Defensoria’, a editora Claudia Bonatte, da Rede Bahia, ficou em prêmio lugar na categoria Telejornalismo. Segundo ela, que dividiu o prêmio com a repórter Andréa Silva, o momento coroa um trabalho feito por uma equipe que preza pelo profissionalismo.

Foto: ADEP-Ba
Foto: ADEP-Ba

O primeiro lugar na categoria Radiojornalismo foi conquistado por Igor Dantas (foto), da CBN, com a reportagem “Brasil teoricamente democrático”. “Quero agradecer a equipe que nos dá todo o suporte e incentivo para que trabalhos como esses que estão sendo premiados aqui tenham essa notoriedade. Faço um pedido para que cada um de nós possa levar essa bandeira do olhar mais humanitário para fazer uma sociedade e um mundo melhor”, disse Dantas.

Já o segundo lugar na categoria Radiojornalismo foi para Priscila Mendes Dias, autora da reportagem “Judicialização na Saúde – conflitos e soluções”, veiculada na Rádio Itatiaia, de Minas Gerais. “É uma honra pode sair de Minas e vir até aqui receber esse prêmio em nome da rádio Itatiaia, a principal rádio de Minas. Acho que esse trabalho representa muito, tanto para a sociedade, para nós, da imprensa, quanto para os defensores públicos. É uma forma de fortalecer os laços em favor dos cidadãos que carecem muito de atenção e precisam entrar na Justiça para manter seus direitos básicos garantidos”, comemorou.

adep-ba 1
A repórter mineira Priscila Mendes Dias levou o segundo lugar na categoria Radiojornalismo – Foto: ADEP-Ba

Na ocasião, a Adep-BA concedeu uma menção honrosa para o trabalho “Homenagem a defensora pública Tereza Cristina”, de Antônio Henrique Peixoto de Almeida, veiculado no YouTube.

A temática da 1ª edição do Prêmio de Jornalismo Ivan Lemos de Carvalho contemplou o acesso à Justiça e a garantia do Direito à Saúde, vinculada à Campanha Nacional 2014, cujo lema é “Defensor público, transformando a causa de um em benefício de todos”, que na Bahia recebeu o tema “Defensor público e cidadão: juntos pela garantia do Direito à Saúde”. O objetivo é valorizar a imprensa e seu compromisso com iniciativas de melhoria da qualidade de vida e do fortalecimento da democracia, além de aproximar o trabalho dos defensores públicos da sociedade.

Concorreram trabalhos de jornalistas publicados entre 15 de maio a 10 de outubro de 2014, nas categorias Jornalismo Impresso (jornal, revista, publicação direcionada), Radiojornalismo, Telejornalismo e Webjornalismo (sites e blogs). O nome escolhido para o prêmio homenageia o jornalista e articulista Ivan Lemos de Carvalho, que morreu em maio deste ano. Formado em Direito, Carvalho abordava em seus artigos políticos assuntos com nuances importantes para o exercício da cidadania.

As informações são da Associação dos Defensores Públicos da Bahia (ADEP-BA)

ABI BAHIANA Notícias

Mesa-redonda no IGHB homenageia Luiz Gama

O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB) sediou uma mesa-redonda em homenagem ao abolicionista Luiz Gama (1830-1882), responsável pela alforria de mais de 500 pessoas escravizadas. O baiano notabilizou-se no país desde a segunda metade do século XIX por causa da sua atuação como jornalista, poeta e advogado. Na noite da última quinta-feira (20), Dia Nacional da Consciência Negra, ele foi lembrado no evento promovido pelo Instituto dos Advogados da Bahia, Associação Bahiana de Imprensa (ABI), Academia de Letras Jurídicas da Bahia, Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, Procuradoria Regional do Trabalho da 5ª. Região, Fundação Instituto Feminino da Bahia, Superintendência Regional do Trabalho, jornal Tribuna da Bahia e o próprio IGHB.

A mesa-redonda realizada no salão nobre do IGHB foi marcada pelas surpresas da entrega da Medalha Luiz Gama, do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) ao jurista Antonio Luiz Calmon Teixeira, organizador do evento e presidente do Instituto do Advogados da Bahia (IAB) e pela performance do poeta Jansen, do Coletivo Libertai, que recitou no encerramento “Navio Negreiro”, de Castro Alves (1847-1871). “Foi uma incontrolável homenagem ao abolicionista Luiz Gama e ao Dia da Consciência Negra”, ressaltou o poeta. Antes das exposições da mesa, Jansen já havia se juntado a Márcio Luiz, também integrante do Coletivo Libertai – que há cerca de quatro anos homenageia o abolicionista Luiz Gama com evento no Largo do Tanque – para recitar o famoso “Quem sou eu?” (conhecido popularmente como “Bodarrada”), de Gama, versos com o quais o poeta rebate o preconceito e defende a igualdade.

De acordo com Antônio Luiz Calmon Teixeira, o objetivo do encontro foi homenagear um dos maiores líderes libertários do século XIX. “Queremos homenagear um homem negro, que no século XIX surgiu como um meteoro em São Paulo na defesa de pessoas escravizadas, na luta pelo abolicionismo, advogado, jornalista e poeta. Um homem público, que em um ambiente hostil ao negro, conseguiu ser admirado e respeitado por Rui Barbosa, Castro Alves e Joaquim Nabuco”.

Para o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Horácio Pires, a mesa-redonda deve ser vista como o resgate de uma memória. Ele acentuou a contribuição de Gama à interpretação da legislação brasileira do século XIX e informou que as sentenças obtidas pelo advogado contribuíram para o aperfeiçoamento das leis brasileiras de então. “Ele foi um baiano que brilhou em São Paulo, mas a Bahia não deu o devido valor sobre a obra que ele realizou na história. Estamos aqui para homenageá-lo e, sobretudo, para resgatar essa história”, afirmou.

Leia também:

Já o jurista Técio Lins e Silva, destacou a contribuição dada por Luiz Gama à advocacia de sua época e fez comparou a atuação de Gama diante dos magistrados com as dificuldades enfrentadas pelos advogados perante os tribunais dos períodos ditatoriais brasileiros do século XX. “Ele foi um mestre da advocacia sem nunca ter se formado. Defendia os escravos se utilizando dos ordenamentos do Direito formal imperial da época, usando mecanismos da lei brasileira. Trabalhou contra os castigos e açoites, atuando com generosidade e talento”.

Segundo o vice-presidente do IGHB, Eduardo Moraes de Castro, cultuar grandes nomes da história é uma contribuição dada pelo Instituto. “Estamos oferecendo este registro à comunidade e tenho certeza que daqui há 50 ou 100 anos muitos irão procurar saber sobre esse encontro. Estamos falando de um grande nome da história em um período em que falamos de liberdade e igualdade”, ressaltou.

Membro da Academia de Letras da Bahia, o escritor Joaci Góes previu que a partir de agora o abolicionista Luiz Gama será cada vez mais cultuado pelos baianos. Também prestigiaram a homenagem Newton Cleyde, Antônio Luiz Calmon Teixeira, Lamartine Lima, Adélia Marilyn e diretores da ABI, Aloísio da Franca Rocha Filho, Luis Guilherme Pontes Tavares e Valter Lessa.

Com informações da Tribuna da Bahia/Luis Guilherme Pontes Tavares

ABI BAHIANA Notícias

Assembleia outorga ao presidente da ABI o título de Comendador

A Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) concedeu a Comenda Dois de Julho ao presidente da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), Antonio Walter Pinheiro, na manhã desta quinta-feira (20). A proposição assinada pelo deputado Euclides Fernandes homenageou o dirigente “não só pelos seus serviços às comunidades menos favorecidas como integrante de várias instituições filantrópicas e de beneficência, mas, sobretudo, como uma maneira de o Poder Legislativo saudar toda a imprensa baiana”. Durante a saudação que o deputado proferiu na solenidade de entrega da Comenda, ele fez questão de ressaltar a participação do homenageado em entidades beneficentes e suas atividades na direção da Tribuna da Bahia, “sempre em defesa de uma imprensa livre e democrática”.

DSCF1800
Presidente da ABI, Walter Pinheiro passa a ser Comendador

“O Brasil vive novos tempos, respondendo a ânsia do seu povo em combater sem adiamentos os desmandos, as incúrias, enfim, os crimes daqueles que o desrespeitam manipulando ao bel prazer recursos públicos, para satisfazer interesses partidários e, até mesmo pessoais. Malversam valores tão necessários à melhoria de vida dos brasileiros, estimulados pela impunidade que sempre vigorou neste país, mas que agora parece estar chegando ao fim. Mentem vergonhosamente para dissimular seus mal feitos e encobrir pecados que enodoam a República”, afirmou Walter Pinheiro ao agradecer a homenagem.

“Exatamente por isso, excelentíssimos deputados, companheiros da imprensa, senhores magistrados, dignos líderes políticos, autoridades, minhas senhoras e senhores, é que não podemos tergiversar na aplicação da lei e dos preceitos constitucionais, visando o alcance do status de nação desenvolvida, tanto material como tecnologicamente, amparada por conceitos morais e éticos, que nos permitam projetar o Brasil em patamares cada vez mais elevados no cenário dos povos civilizados”, completou.

DSCF1837
Walter Pinheiro e deputado Euclides Fernandes

O deputado Euclides Fernandes lembrou que homenagem estava marcada para abril. “Infelizmente, não conseguimos atingir o objetivo inicial que seria realizar esta solenidade no dia sete de abril, Dia do Jornalista. Todavia, o fato de estar acontecendo no dia de hoje não a torna menos solene e nem menos importante no nosso objetivo que é o reconhecimento ao intenso e incansável trabalho do nosso homenageado como integrante de entidades filantrópicas e beneficentes, tais como a Santa Casa da Misericórdia, a Casa Pia e Colégio de Órfãos de São Joaquim, o Instituto Movimenta Salvador. Além de ser o lídimo representante da classe jornalística. O que pretendemos, também, é que o Poder Legislativo homenageie todos os integrantes da categoria profissional também denominada de Quarto Poder”.

Para Euclides Fernandes, a homenagem contraria o adágio popular de que “jornalista nunca é notícia”. “Hoje, meu caro Walter Pinheiro, estamos colaborando para que, com muita justiça, um jornalista seja notícia. A partir de hoje Vossa Senhoria, com todos os méritos passa a ser o Comendador Walter Pinheiro, mas que todos os integrantes dessa categoria profissional que tem uma extraordinária parcela de responsabilidade na formação da sociedade se sintam como parte integrante dessa homenagem, visto que a condição de presidente da Associação Bahiana de Imprensa o torna uma das principais e importantes lideranças do jornalismo baiano. Há que se reconhecer suas qualificações administrativas e diretivas, pois, graças a essas qualidades, a Tribuna da Bahia conseguiu atravessar todos esses anos sem perder o seu rumo e objetivos”, ressaltou o deputado.

DSCF1826
Representantes de diversos segmentos prestigiaram a solenidade

A solenidade, presidida pelo deputado Marcelo Nilo, contou com a presença de autoridades representando os mais variados segmentos governamentais e privados, com destaque para a secretária de Comunicação, Marlupe Caldas, representando o governador Jaques Wagner; o desembargador Jatahy Fonseca; o futuro vice-governador João Leão; o presidente do tribunal de Contas do Estado, conselheiro Inaldo Araújo; o presidente do Tribunal de Contas do Município, conselheiro Francisco Neto; a presidente do Sinjorba. Márjorie Moura; o representante da Academia de Letras da Bahia, acadêmico Joacy Góes; o provedor da Santa Casa da Misericórdia, Roberto Sá Menezes, dentre outras.

 

As informações são do Gab. Dep. Euclides Fernandes

Assessoria de Comunicação – tel.3115.0923

Em 20.11.2014

Artigos Pensando a imprensa

Tecnologia, Comunicação e Política

Por Aloísio da Franca Rocha Filho*

Aloísio_oitavo andar ABI 1
Aloísio da Franca Rocha Filho

RESUMO: Um dos aspectos fundamentais a conhecer-se na problemática da comunicação reside na análise e no reconhecimento da comunicação como uma técnica que integra as relações sociais mais amplas e participa ativamente da ordem cultural, simbólica, política desde e sempre. Nesta perspectiva compreende-se a comunicação como uma técnica ensejando diferentes relações de tempo e espaço, de experiências, de sociabilidades e de mudanças contemporâneas na política.

Clique aqui para ler o artigo na íntegra.

*Aloísio da Franca Rocha Filho é professor universitário aposentado, jornalista, editor do site
da Associação Bahiana de Imprensa – www.abi-bahia.org.br