Notícias

Curso Estado de Jornalismo Econômico abre seleção

Está aberta a seleção para o 8º Curso Estado de Jornalismo Econômico, parceria do Grupo Estado com a Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). As inscrições vão até o dia 27 de março e devem ser feitas pelo site Vagas.com. O programa é gratuito e será realizado em período integral, de 16 de abril a 13 de julho, na sede do Estadão.

Podem participar da seleção estudantes de todo o Brasil que estejam no último semestre de jornalismo ou se formaram há dois anos (2016 ou 2017). Na primeira etapa do processo, toda online, os candidatos incluem currículo e justificativa de interesse no site. Também fazem provas de conhecimentos econômicos, português e inglês.

Até 75 candidatos passam para a segunda etapa da seleção, em São Paulo. Nesta fase, que ocorre nos dias 3, 4, 5 e 6 de abril, os aprovados têm um dia de atividades no jornal. Na parte da manhã, fazem teste de conhecimentos econômicos e português, e escrevem uma reportagem econômica. No intervalo após o almoço, conhecem a redação e outras áreas do Grupo Estado. E, à tarde, passam por uma rodada de entrevistas.

*Bianca Gomes para o Estadão.

Notícias

Programação variada celebra os 30 anos da Facom

As comemorações dos 30 anos da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Facom/UFBA) prometem agitar o Campus de Ondina, nesta quinta-feira (1º). Pela manhã, às 9h, ocorre a inauguração da nova ala da unidade, que terá um espaço para a instalação do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT-DD), além de novas salas de aula, laboratórios e gabinetes para os professores. Também serão apresentados o novo site da Facom e o Núcleo de Comunicação, iniciativa inédita implantada pela Facom. O reitor da UFBA, João Carlos Salles, prestigiará a cerimônia.

A diversidade, característica marcante da Facom desde o seu início, será lembrada durante a mesa-redonda “Multiplico direitos, fortaleço cidadania”, a partir das 10h30, com a participação da jornalista Silvana Moura (Diretoria de Conteúdo do IRDEB), formada pela Facom, do professor Hélio Santos (integrante da Fundação Baobá) e mediação do professor José Roberto Severino. A ação é organizada pelos alunos da Agência Experimental, projeto de extensão da Facom fundado em 2007 que promove o diálogo entre a universidade, a comunidade e movimentos sociais. O momento marcará a campanha “Conviver com Respeito”, que busca estimular a convivência pacífica entre povos de diferentes religiões. Além disso, haverá a exibição do teaser do documentário dos 100 anos do Terreiro Bate Folha.

Outra novidade é a inauguração da Casa de Comunicação – Ilê ti Com. O espaço compartilhado de trabalho e convivência, que funcionará no vão do primeiro andar da faculdade, é um antigo desejo dos estudantes e será apresentado às 12h30 no sarau “A Casa é Sua”, organizado pelos alunos do curso de Produção Cultural, sob a orientação do vice-diretor da Facom, o professor Leonardo Costa. Haverá apresentações de música e poesia, com a participação do coletivo Frôceta. O microfone estará aberto ao público.

Durante o evento, serão lançados diversos produtos feitos pelos alunos da Facom, como o FAQ COM, cartilha que ajudará a tirar dúvidas de calouros e veteranos, o FacomFaz, site com o acervo de todas as publicações já produzidas nas disciplinas, o perfil do instagram Baú da Facom, que tem registros de momentos marcantes para a história da instituição, e a edição impressa do Jornal da Facom. Também será lançada a nova edição digital da revista Fraude, feita pelos alunos do Programa de Educação Tutorial da Faculdade de Comunicação (Petcom).

A Gestão CulturAção, que esteve à frente do Centro Acadêmico Vladmir Herzog durante todo o ano de 2017, encerra seu mandato com uma festa de confraternização às 14h. Os membros da instância, que representa os alunos da Facom, pedem para que os participantes tragam roupas de banho, para tomar sol e aproveitar o final do semestre de verão ao som de uma boa música. Alimentos e bebidas serão vendidos no local. O aniversário se encerra com o Bloquinho do Paredão da Facom, iniciativa de veteranos da faculdade, às 17h.

Sobre a Facom – A Faculdade de Comunicação da UFBA (Facom) faz parte do campus universitário de Ondina. A unidade é reconhecida por abrigar o primeiro curso de Jornalismo da Bahia, criado na década de 1950 sob domínio da Faculdade de Filosofia. O curso sofreu uma transformação com o deslocamento para a Escola de Biblioteconomia, em 1969. Com a junção dos dois cursos no mesmo prédio, a unidade passou a ser denominada Escola de Biblioteconomia e Comunicação, onde o curso de Comunicação funcionou sob luta política até 1987, ano da separação e independência. A Facom também foi pioneira ao oferecer a primeira habilitação em Produção em Comunicação em Cultura do Brasil, em 1996.

Na graduação, oferece as habilitações de Comunicação Social: Jornalismo e Produção em Comunicação e Cultura, além da área de concentração em Cinema e Audiovisual. Na pós-graduação, a Facom oferta a especialização em Comunicação Estratégica (Gestão da Marca), e os programas de mestrado e doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Atualmente, é composta por cerca de 600 alunos e 40 professores efetivos. Entre suas conquistas mais recentes, se destaca a nota 5 alcançada pelo curso de Jornalismo no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), tornando-o campeão entre as instituições públicas de ensino. (Ler Dossiê Facom)

SERVIÇO:

ANIVERSÁRIO DE 30 ANOS DA FACOM
Dia 01/02 (quinta-feira), a partir das 9h
Local: Faculdade de Comunicação da UFBA – Rua Barão de Jeremoabo, s/n, campus de Ondina
Aberto ao público

Notícias

Programa internacional inscreve para bolsas de fotojornalismo

O Student Media Grants Program (SMGP), programa internacional de fotojornalismo para estudantes, está com inscrições abertas até 30 de setembro de 2017. O programa oferece até US$ 5.000 para candidatos documentarem áreas em situação precária ou afetadas por conflitos. O programa dura de janeiro a dezembro de 2018 e é aberto para estudantes de graduação e pós-graduação de todo o mundo. Os trabalhos podem abordar temas como saúde, educação, propriedade da terra, pobreza, entre outros. Alguns países retratados por bolsistas de anos anteriores foram Nigéria, Mali, Bangladesh, Nicarágua, Quênia, Haiti, Etiópia e Peru.

Para o programa, os participantes podem escolher fazer fotos em seu país de origem ou apresentar proposta de viagem internacional. Não há restrições em relação ao local, mas há pouca chance de destinos que constem na lista de países com alertas de viagem do governo dos EUA serem aprovados. O projeto não necessariamente deve durar de janeiro a dezembro de 2018, mas ser produzido em algum período do ano. Os próprios estudantes decidem quando preferem trabalhar.

As propostas podem ser individuais ou em duplas e cada estudante (ou equipe) deve enviar um só projeto para a organização. A bolsa será a mesma caso duas pessoas decidirem se inscrever juntas. Estudantes com projetos em região de alto risco estão autorizados a submeter segunda proposta, para não ficarem em desvantagem caso a primeira hipótese não seja exequível. Os dois projetos serão julgados separadamente.

Interessados devem enviar proposta com dados pessoais e descrição do plano de viagem e de trabalho (em inglês) para [email protected] Leia aqui as instruções para o envio do e-mail e o formato das submissões.

As informações são da Associação Brasileira de Imprensa (ABI)

Notícias

Muniz Sodré abre a programação do Enecult com debate sobre cultura e crise

O XIII Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (Enecult) fará da Universidade Federal da Bahia (UFBA) um centro de discussões entre diferentes áreas do conhecimento no campo da cultura entre os dias 12 e 15 de setembro. Já na abertura, o jornalista e professor Muniz Sodré, referência na pesquisa em comunicação e cultura no país e na América Latina, apresenta a palestra “Cultura como crise” na Reitoria da UFBA, na terça-feira, 12, a partir das 18h, com transmissão em tempo real pela TV UFBA.

enecultApós a palestra de Muniz Sodré, o debate sobre cultura e crise continua com o poeta José Carlos Capinan, a professora da Universidade do Estado de Santa Catarina, Marlene de Fáveri, e a historiadora da UFBA Wlamyra Albuquerque. A discussão está prevista para começar às 19h30.

Embora seja graduado em Direito, mestre em Sociologia da Informação e Comunicação e doutor em Letras, Sodré já era jornalista antes de entrar na universidade. Ele inciou sua carreira no Jornal da Bahia, fundado pelo feirense João Falcão, falecido em 2011. “Participei da fundação do jornal como secretário de João Falcão, graças à minha habilidade com línguas. Um ano depois, passei para a redação, onde estavam Glauber Rocha, João Ubaldo Ribeiro, Ariovaldo Matos, José Gorender e outros”, contou em entrevista ao Globo Universidade (Rede Globo).

Desde então, publicou 33 livros nas áreas de Comunicação e Cultura, número que será ampliado com o livro “Pensar o Nagô”, pela editora Vozes, cujo lançamento encerrará a programação do primeiro dia do Enecult. Sua obra contesta a exclusividade greco-europeia na filosofia brasileira e defende um paradigma afro de pensamento.

Essa é a segunda vez que Sodré participa do Enecult – ele esteve presente na edição de 2007. Professor da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Sodré desenvolveu um olhar articulado entre comunicação e cultura, defendendo a superação da abordagem meramente mercadológica. Seu trabalho define a cultura a partir de forças basilares como o poder, a subjetividade e a identidade, e se afasta de concepções estruturalistas. Sua militância intelectual contribuiu também para o reconhecimento da comunicação no campo científico, a partir da superação da ideia de ciência como conhecimento fechado, exato e universal. Para ele, mais que estudo da mídia, a centralidade da comunicação estaria no processo de partilha de um comum vivido, elemento chave para a compreensão do século XXI.

  • Confira a programação aqui 

Informações de Edgardigital