Notícias

UFRB garante funcionamento do Museu do Cinema em Cachoeira

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) vai realizar um termo de cooperação entre o Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL/UFRB) e o Instituto Roque Araújo de Cinema e Audiovisual (IRA), para salvar o Museu de Equipamentos Cinematográficos (Museu do Cinema), situado na cidade de Cachoeira. Um encontro realizado na última sexta-feira (07) atendeu a um movimento iniciado nas redes sociais para expor o estado do equipamento, um patrimônio cultural de valor imensurável que estava prestes a se perder por falta de apoio. O museu, que conta a história do cinema em solo baiano, dispõe de um robusto e valioso acervo com o total de 4.990 equipamentos doados por cineastas, empresas produtoras de cinema e colecionadores.

Foi através de um desabafo do coordenador da unidade, o cineasta Roque Araújo, que os baianos ficaram sabendo da grave situação. O historiador e cineclubista Luiz Araújo (“Lu Cachoeira”) compartilhou, no dia 4, um vídeo em que Roque faz um apelo para manter vivo o maior museu de equipamentos cinematográficos do Brasil. Segundo Roque, depois da descontinuidade da parceria com a Prefeitura de Cachoeira, além de arcar com sua passagem, hospedagem e alimentação, ele seguia pagando funcionários com o próprio dinheiro. O cineasta também alegou a possibilidade de instalar o museu em qualquer parte do país, mas preferiu a Bahia porque “quis que os baianos tivessem o único museu específico de cinema e audiovisual”.

De acordo com Roque Araújo, a única instituição que continuava apoiando o IRA era o IPAC – Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural, através da cessão do imóvel para a instalação do museu, que em três anos registrou nos livros de frequência aproximadamente 50 mil visitantes. “Eu faço o que posso para demonstrar a essa geração os equipamentos que geraram a sétima arte e falta suporte para mim”, afirmou o cineasta, que acompanhou todas as produções do Cinema Novo realizadas por Glauber Rocha, tornando-se um guardião e confidente de Glauber. Em quase seis décadas de ofício, ele guarda equipamentos usados em clássicos como “Redenção” e “Barravento”.

O vídeo levou ao engajamento de centenas de internautas, que comemoraram nas redes sociais a notícia da parceria entre o IRA e a UFRB. Segundo o diretor do CAHL, Jorge Cardoso Filho, o Museu servirá como fonte auxiliar na formação dos alunos dos Cursos de Cinema e Audiovisual, Museologia, Artes Visuais, Comunicação Social, História e demais cursos instalados na instituição. “Para nós, é importante que as ações que são realizadas pelo Instituto [IRA] se consolidem e continuem. Vamos construir um documento que atenda às demandas”, afirmou Jorge Cardoso, diretor do CAHL. Os trabalhos para viabilizar a reabertura do museu começaram já na manhã desta segunda (10).

*Com informações do Recôncavo Online

Notícias

Museu da Misericórdia estende programação de aniversário de Salvador

O Museu da Misericórdia, situado entre a Praça Municipal de Salvador e a Praça da Cruz Caída, tem realizado roteiro especial para estudantes, com o objetivo de marcar os 468 anos da capital baiana, comemorado no dia 29 de março. A iniciativa, chamada “Contando a nossa História”, teve grande repercussão entre as escolas soteropolitanas e terá seu calendário de visitas estendido até a segunda semana de abril. O acervo desse importante equipamento cultural é composto por mais de 3 mil peças catalogadas, que contextualizam uma narrativa histórica de quase 500 anos.

Foto: BaPress
Foto: BaPress

O roteiro, feito especialmente em homenagem ao aniversário de Salvador, contempla a trajetória do Museu da Misericórdia e da Santa Casa da Bahia e sua relação com os fatos históricos da cidade. Os estudantes que participarem da visita poderão conhecer mais sobre a chegada de Tomé de Souza ao Porto da Barra, marcando a fundação da então primeira capital do Brasil, em como se deu a formação da cidade, desde a implantação dos poderes de administração política e social até o desenvolvimento da economia e da sociedade local, incluindo o papel da Santa Casa da Bahia no decorrer dos anos na assistência à saúde e no cuidado com a infância.

Os fatos históricos, que são apresentados em formato de contação de histórias ou teatro de fantoches para grupos infantis, são seguidos de visita às dependências do museu. Para participar, é necessário realizar agendamento. Instituições públicas têm entrada gratuita e particulares pagam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Para agendamento e mais informações, os interessados devem ligar para os números (71) 2203-9832 / 2203-9830 e falar com Osvaldina ou Lúcia.

O Museu – Instalado no prédio que abrigou o primeiro hospital da Bahia e a sede administrativa da Santa Casa da Bahia, em prédio erguido no século XVII e tombado pelo IPHAN em 1938, o Museu da Misericórdia é um dos mais importantes espaços culturais do estado e possui em seu acervo obras que contam parte da história da Bahia e do Brasil. Pertencente à Santa Casa da Bahia, o museu também tem em seu espaço a Igreja da Misericórdia, um dos mais significativos monumentos religiosos de Salvador, considerada uma grande representante dos estilos barroco, neoclássico e rococó.

Serviço:

O que: Projeto “Contando a nossa história”
Onde: Museu da Misericórdia (Rua da Misericórdia, 6 – Praça da Sé, Salvador)
Agendamento e mais informações: (71) 2203-9832 / 2203-9830

ABI BAHIANA Notícias

ABI articula reabertura do Museu de Imprensa

A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) está prestes a devolver o Museu de Imprensa à sociedade. Fechado ao público desde 2010, o equipamento criado para preservar a história da imprensa passará por reestruturação completa, de acordo com o diretor de Patrimônio da ABI, Luis Guilherme Pontes Tavares. O novo museu está sendo gestado através de uma parceria da ABI com a Universidade Salvador (Unifacs) e a Ingepot (Instituto de Gerenciamento de Projetos e Tecnologias). Encontro realizado no auditório daquela instituição de ensino, na última sexta (26), representa um passo importante no caminho de reabertura de mais um espaço cultural no Centro Antigo de Salvador.

Luis Guilherme, que esteve acompanhado pela museóloga Renata Ramos e pelo superintendente da ABI, Márcio Müller, fez uma apresentação sobre a entidade e sua sede, no Edifício Ranulfo Oliveira (Praça da Sé). O dirigente afirmou que, através da parceria, os alunos serão responsáveis pela elaboração dos projetos a serem escolhidos pelo corpo docente da Unifacs. Caberá ao conselho diretor da ABI eleger o projeto final.

Museu-Imprensa-1
Foto: Arquivo/ABI

A museóloga da ABI, Renata Ramos, explicou as necessidades do museu, que terá lugar no térreo do prédio da associação, como divisão entre visitantes e pesquisadores, construção de uma área destinada à reserva técnica, além de realizar o detalhamento de seu rico acervo – composto por periódicos antigos, volantes, obras e objetos pertencentes a jornalistas. Já o superintendente da ABI, Márcio Müller, ressaltou o desafio da interação de alocar as propostas do acervo físico com o digital através de plataformas multimídias.

Ao longo dessa semana, a ABI receberá turmas para visita do espaço destinado ao museu. Na próxima reunião da ABI, no dia 14 de setembro, a diretoria, que já examinou os termos, deverá aprovar o texto do convênio tripartite. Em seguida, a documentação será assinada pelo jornalista Wealter Pinheiro, presidente da ABI, pela reitora da Unifacs, professora Márcia Pereira Fernandes de Barros, e pela diretoria executiva da Ingepot, a empresária Francisca Mathilde Bittencourt Vasconcelllos.

Notícias

MAB sedia debate sobre políticas educacionais em Salvador

O Museu de Arte da Bahia (MAB) realiza a quinta edição do projeto “Discutindo o Brasil”, nesta quarta-feira (20), às 19h, com as presenças do Prof. João Carlos Salles, Reitor da UFBa e do Prof. Penildon Silva, Pró-Reitor de Ensino de Graduação da UFBA. O evento, que vai abordar o tema “As políticas educacionais”, é gratuito e aberto ao público. O ciclo “Discutindo o Brasil” tem promovido desde junho análises sobre o atual panorama político-social brasileiro, e, consequentemente, os efeitos sofridos pela população.

Já passaram pela pauta temas como a falta de representatividade das mulheres e dos negros, a importância e o papel da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), a extinção da MCTI e as consequências para a comunidade acadêmica, e o SUS e a Saúde no Brasil.

O diretor do Museu, Pedro Arcanjo, defende que “este diálogo com a sociedade colabora para a construção reflexiva deste momento, através da discussão de importantes temas”. O MAB é vinculado ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – Ipac, entidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Programação:

20/7 – As políticas educacionais
Convidados: Professor João Carlos Salles – Reitor da Ufba e Prof. Penildon
Silva, Pró-Reitor de Ensino de Graduação da Ufba

22/7 – Os programas sociais no Brasil
Convidados: Professor Clóvis Zimmermann, professor da FFCH/Ufba e pesquisador dos Programas Sociais do Governo, e a professora e escritora, especialista em Programas Sociais, Anete Ivo.

27/7 – A nova configuração do Ministério da Justiça e Cidadania
Convidados: Dr. Rui Patterson, advogado criminalista, Geraldo Reis, secretário de Justiça, Desenvolvimento Social e Desenvolvimento Humano / BA e Anhomona de Brito, superintendente de Apoio e Defesa dos Direitos Humanos.

29/7 – O direito dos trabalhadores está ameaçado? (CLT e INSS)
Convidada: Dra. Andrea Presas Rocha (TRT) Professora e Juíza de Direito